terça-feira, 25 de outubro de 2016

Crise diminui contratação de temporários no Natal do Recife

Rua da Imperatriz com fraco movimento nesta segundaFoto:

Maria Luísa Ferro
NE10

Maria Luisa FerroNE 10Comerciantes do Recife estão preocupados com as vendas do fim de ano. Com a queda recorrente no faturamento, muitos estão apelando para promoções e não possuem expectativas altas com a proximidade do Natal, pensando até em eliminar as contratações temporárias comuns para o período. No dia escolhido para comemoração do Dia do Funcionário Público, o movimento no comércio do Centro foi fraco. Apesar das muitas lojas apostarem em liquidações e novos produtos, esse atrativo não foi suficiente para tirar os consumidores de casa nesta segunda-feira (24).

Na Rua Sete de Setembro, esquina com uma das principais avenidas do Recife, a Conde da Boa Vista, o movimento de pedrestres era fraco e era possível ver a disputa entre os vendedores pelos poucos clientes que passavam na rua. José Luiz Silva, 57 anos, é dono de uma barraca na Sete de Setembro há 35 anos, disse que nunca viu o movimento tão fraco nessa época. "Essa crise tem tirado o consumidor daqui da rua. Nunca vi nada parecido nesses 35 anos, muita loja fechando e produto sobrando nas prateleiras", afirmou. Para a consumidora Maria José, 66, as pessoas ainda estão com medo de comprar. "Ninguém sabe como vai ser o dia de amanhã, se esse dinheiro que tem vai dar para passar o mês. Acho que é por isso que ninguém compra, estão tentando economizar", falou.

Lojas apelam para liquidação para atrair clientesFoto: Maria Luísa Ferro/NE10

Já na Rua da Imperatriz, um dos principais pontos do comércio popular no Centro da cidade, o cenário era praticamente o mesmo. A única movimentação era nos restaurantes do local, devido a hora do almoço. Para a vendedora Aline Lima, 30, nem os festejos natalinos serão capazes de melhorar a situação do comércio. "Aqui na loja a demanda está tão baixa que não vão contratar temporários este ano. Acho que até no Natal as vendas vão ser fracas, porque a situação está muito ruim", afirmou.

De acordo com a Câmara de Dirigentes Lojistas do Recife, a expectativa de contratação de empregados temporários em 2016 é de 7 mil funcionários, cerca de 30% a menos do que o ano passado. Ainda segundo a CDL, as vendas devem alcançar os mesmos números de 2015, sem crescimento nem queda, o que já representa uma vitória, segundo a entidade.
Fila em busca de emprego chama atenção

Uma fila com cerca de 200 pessoas chamou a atenção de quem frequentou a Rua do Riachuelo na manhã desta segunda (24). Segundo informações, as pessoas aguardavam para entregar currículos numa agência de empregos, localizada na esquina com a Rua Princesa Isabel, que selecionava candidatos a vaga de vendedor numa loja de sapatos.

Nenhum comentário :

Postar um comentário