segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Estudantes da rede estadual produzem jornal que é distribuído na comunidade

Diário de Pernambuco

Na sala de aula do professor de português Valfrido Araújo, na Escola Estadual Dom Bosco, era raro encontrar um estudante que tinha o hábito de ler jornal. Conectados em computadores e smartphones, o papel parecia pouco atrativo para os estudantes da escola localizada no bairro de Casa Amarela, Zona Norte do Recife. A relação dos alunos com o jornal mudou depois que eles próprios começaram a produzir matérias, colunas e fotografias para serem publicadas em um periódico.

Desde outubro de 2011, o jornal Novas Ideias, publicação mensal editada pelo professor de língua portuguesa, transforma o contato de meninos e meninas entre 14 e 18 anos com o universo das palavras. “Eu cobrava que os alunos escrevessem redações, mas nem sempre eles se sentiam estimulados. Foi quando surgiu a oportunidade de editar um jornal escolar. Hoje, eles escrevem mais de um texto, se esforçam, leem mais só para verem seus nomes publicados no jornal”, conta o professor.

Dentro da programação normal da disciplina, Valfrido discute temas com os alunos, que são transformados em pautas para a edição do mês seguinte. “Proponho assuntos, mas boa parte do que sai no jornal é definido pelos próprios alunos. Eles costumam escolher temas atuais e questões relacionadas ao cotidiano escolar”, explica o professor. Publicado há cinco anos, o Novas Ideias está na 42ª edição e conta com seções fixas, como o expediente, uma enquete - “fala povo” - e perfil (a cada edição, a história de um aluno é retratada).

A impressão do jornal escolar é feita pela Editora Universitária da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), que apoia o projeto. A tiragem mensal é de 200 exemplares, que são distribuídos para estudantes, pais e professores. “No começo do projeto muitos estudantes recebiam o jornal e jogavam fora. Agora, a procura é grande, e eles ficam ansiosos para a chegada do jornal do mês”, recorda Valfrido.

O estudante do segundo ano do ensino médio Vitor Hugo Oliveira, 17, lembra com emoção da primeira vez que viu uma matéria escrita por ele publicada no jornal escolar. “A gente se esforça para fazer as melhores redações e ter o texto escolhido para o Novas Ideias. Depois do projeto comecei a ler mais os jornais impressos do estado”, revela. Leitor do Diario de Pernambuco, Vitor conta que a primeira seção do jornal que lê é o editorial. “É um texto dissertativo argumentativo, como é cobrado no Enem, então leio como um bom exemplo para construir meus próprios textos. Além disso, quero cursar direito. Tenho que saber argumentar”, diz.

Nenhum comentário :

Postar um comentário