quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Modelo solto após flagrante com drogas é preso novamente

Folhapress

O modelo catarinense que havia sido solto mesmo após ser flagrado no último sábado (15) portando 3,3 quilos de haxixe no Aeroporto do Recife foi preso novamente, desta vez em sua casa, em Balneário Rincão, no sul de Santa Catarina, a 186 km da capital Florianópolis.

A segunda detenção é resultado de um pedido de prisão preventiva feito pela Polícia Federal (PF). O pedido foi aceito pelo Ministério Público Federal e acatado pela Justiça Federal. Segundo a PF, Paulo Ricardo Evangelista Mantovani, de 28 anos, deve chegar novamente ao Recife nesta quinta-feira (20), em horário ainda não confirmado.

O caso

Pela primeira vez em Pernambuco, um homem foi liberado após prisão em flagrante devido a envolvimento com o tráfico internacional. Paulo Ricardo foi preso na noite do último sábado após a Polícia Federal encontrar 3,3 quilos de haxixe em sua mala. Ele estaria vindo de Barcelona e teria São Paulo como destino. A liberação aconteceu após audiência de custódia. O fato chocou a PF, por ser a primeira vez que alguém envolvido com esse crime é liberado.

Segundo informações da PF, o modelo residia na Europa desde 2011 e teria aceitado realizar o contrabando para custear negócios que pretendia abrir no Brasil. Ele informou à polícia que recebeu a proposta de outro brasileiro e teria recebido a quantia de R$ 12 mil para arcar com as despesas da viagem. Com ele, foram encontrados R$ 1.050 e 1.290 euros, cerca de R$ 4,5 mil.

A polícia desconfiou do homem por ele não apresentar características físicas regionais e ter demonstrado nervosismo, inquietação e impaciência. Durante a entrevista, houve contradição por parte do suspeito. A confirmação veio após o raio-x da mala, que mostrou diversos envelopes quadrados: eram 120 invólucros com a droga.

O haxixe é uma resina da maconha com alto teor de THC, princípio ativo que produz alucinações. Caso seja condenado por tráfico internacional, o modelo pode pegar até 20 anos de prisão.

Nenhum comentário :

Postar um comentário