sábado, 19 de novembro de 2016

Ex-ministro da Cultura acusa o ministro da Secretaria de Governo de pressioná-lo a liberar obras de projeto imobiliário na Bahia

Marcelo Calero (E) e Geddel Vieira Lima (Foto: Reprodução)

Folhapress

O ex-ministro da Cultura Marcelo Calero (PSDB-RJ), que pediu demissão do cargo, acusa o ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima (PMDB-BA) , de tê-lo pressionado a produzir um parecer técnico para favorecer seus interesses pessoais.

Calero afirmou que o articulador político do governo Temer o procurou pelo menos cinco vezes – por telefone e pessoalmente – para que o Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), órgão subordinado à pasta da Cultura, aprovasse o projeto imobiliário La Vue Ladeira da Barra, nos arredores de uma área tombada em Salvador (BA).

Nas palavras do ex-ministro, Geddel disse em pelo menos duas dessas conversas possuir um apartamento no empreendimento que dependia de autorização federal para sair do papel. “Entendi que tinha contrariado de maneira muito contundente um interesse máximo de um dos homens fortes do governo”, afirmou Calero.

“Eu fiquei surpreendido, porque me pareceu – não sei se estou sendo muito ingênuo – tão absurdo o ministro me ligar determinando que eu liberasse um empreendimento no qual ele tinha um imóvel. Você fica atônito. Veio à minha cabeça: ‘Gente, esse cara é louco, pode estar grampeado e vai me envolver em rolo, pelo amor de Deus'”, declarou.

“O ministro Geddel tem uma forma de contato muito truculenta e assertiva, para dizer o mínimo. Então, na ocasião, eu tergiversei, disse que tinha uma agenda com ele para falar de outros assuntos e que poderíamos falar daquele”, explicou o ex-ministro, que será substituído pelo deputado Roberto Freire (PPS-SP).

Nenhum comentário :

Postar um comentário