quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Ex-procuradora geral do Estado fala em uso da Casa Militar para espionar adversários nas eleições

Blog do Jamildo

A procuradora Bianca Teixeira Avallone, que foi procuradora geral do Estado no final de 2014, usou uma rede social para dizer que também identificou o uso da Casa Militar para suposta “espionagem” contra adversários do PSB nas eleições municipais, como denunciou o advogado Antônio Campos, nesta terça-feira (01).

Segundo a procuradora, em Caruaru teria acontecido a “mesmíssima coisa”, contra a campanha da prefeita eleita Raquel Lyra (PSDB).

Nas palavras da ex-procuradora geral do Estado, todos na campanha estavam “grampeados e seguidos até a porta de casa”.

Bianca declarou que esta vigilância da Casa Militar foi “aterrorizante” para quem estava fazendo a campanha de Raquel, eleita em Caruaru contra um candidato apoiado pelo PSB e pelo Palácio, Tony Gel (PMDB).

Antes mesmo de Antônio Campos citar o uso da Casa Militar para suposta “espionagem”, o ex-governador João Lyra (PSDB), pai da prefeita eleita de Caruaru, já havia comunicado ao Blog de Jamildo, em 29 de outubro, o uso de militares para vigiar as atividades de campanha da filha. Na ocasião, o ex-governador João Lyra inclusive mandou fotos de viaturas da PM que estariam nesta alegada vigilância.

“Trata-se de abuso de poder. A força da máquina aqui, nunca vi isto. Em um processo eleitoral, o poder de polícia cabe à Justiça Eleitoral. Estão querendo nos amedrontar com coerção. A defensoria pública chegou a soltar uma nota ameaçando as pessoas com perda de todos os benefícios (se Raquel Lyra ganhar). Vamos agora de tarde mesmo à Justiça Eleitoral e ao Ministério Público”, declarou o ex-governador em 29 de outubro.

O ex-governador João Lyra Neto denuncia o uso da força policial do estado para intimidar a campanha da candidata Raquel Lyra à Prefeitura de Caruaru.

O abuso do poder pela máquina pública estadual, nos últimos dias de campanha, ocorre com a utilização excessiva de forças militares em perseguição aos profissionais e apoiadores da Coligação Juntos por Caruaru, retrocedendo a um período negro da nossa história, quando enfrentamos a polícia da ditatura militar.

Na tarde de hoje, 29 de outubro, durante reunião do departamento jurídico da coligação Juntos por Caruaru, no teatro João Lyra Filho, cinco viaturas da Polícia Militar (aliás, fato raro na cidade) se posicionaram ostensivamente em frente ao local intimidando os advogados quando deveriam garantir a segurança do cidadão.

A Coligação Juntos Por Caruaru apresentou denúncias perante os Juízes da 41ª, 105ª e 106ª Zonas Eleitorais, e ainda, perante o Ministério Público Eleitoral, solicitando providências no sentido de coibir a prática de abuso de autoridade e intimidação por parte da Polícia Militar de Pernambuco.

As denúncias envolvem, ainda, o desvio de finalidade de integrantes de Secretarias Estaduais e de integrantes da Defensoria Pública do Estado de Pernambuco, entre outros órgãos integrantes do Governo do Estado.

Nenhum comentário :

Postar um comentário