quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Uma Vila que enfeitiçava Noel Rosa e seu parceiro Vadico

Paulo Peres
Site Poemas & Canções

O cantor, músico e compositor carioca Noel de Medeiros Rosa (1910-1937), na letra de “Feitiço da Vila”, em parceria com Vadico, aclama o bairro de Vila Isabel (RJ), lugar onde nasceu. No verso “E a Vila Isabel dá samba”, pode-se considerar como uma crítica aos estados mencionados da política oligárquica do chamado “Café-com-Leite” na Primeira República brasileira. Ou seja, a Vila Isabel dá algo mais interessante, o Samba! Na época, esse samba antológico marca sua humildade. Apesar de ser da classe média, Noel fundiu o asfalto com a favela. O samba foi gravado por Francisco Alves e Castro Barbosa, em 1933, pela Odeon.

FEITIÇO DA VILA
Noel Rosa e Vadico

Quem nasce lá na Vila nem sequer vacila ao abraçar o samba
Que faz dançar os galhos do arvoredo
E faz a lua nascer mais cedo

Lá em Vila Isabel quem é bacharel não tem medo de bamba
São Paulo dá café, Minas dá leite e a Vila Isabel dá samba

A Vila tem um feitiço sem farofa
Sem vela e sem vintém que nos faz bem
Tendo nome de princesa transformou o samba
Num feitiço decente que prende a gente

O sol na Vila é triste, samba não assiste
Porque a gente implora:
Sol, pelo amor de Deus, não venha agora
Que as morenas vão logo embora

Eu sei tudo que faço, sei por onde passo
Paixão não me aniquila
Mas tenho que dizer:
Modéstia à parte, meus senhores, eu sou da Vila!

Nenhum comentário :

Postar um comentário