quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Descubra se o seu deputado faltou muito na Câmara em 2016 e cobre em 2017

Blog do Jamildo

Os deputados federais estão em recesso e só retomam as atividades em um mês, com expectativa de eleger um novo presidente para a Câmara e de votar pautas como a polêmica Reforma da Previdência. Mas, antes que eles iniciem de fato o último biênio deste mandato, descubra se em 2016, ano marcado por instabilidade política e eleições municipais, o Blog de Jamildo fez um levantamento sobre as faltas deles às sessões plenárias e de comissões. E descobriu: no segundo semestre, com as campanhas, muitos dos pernambucanos passaram a se ausentar mais. Um deles chegou a não ir a nenhuma reunião de comissão. Veja e, a partir de agora, cobre a presença do político em quem você votou:

Adalberto Cavalcanti (PTB) – 74,5%

O deputado foi candidato a prefeito de Petrolina, no Sertão pernambucano, mas derrotado por Miguel Coelho (PSB).

Total de presenças no ano – 74,5% (70 de 94 sessões deliberativas); no primeiro semestre foi de 81,5%
Faltas justificadas no ano – 18,1%
Faltas não justificadas no ano – 7,4%
Total de presenças em comissão – 68,2%
Anderson Ferreira (PR) – 72,3%

O parlamentar foi eleito em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife, e já renunciou ao mandato após tomar posse na cidade. 

Total de presenças no ano – 72,3% (68 de 94 sessões deliberativas); no primeiro semestre foi de 90,7%
Faltas justificadas no ano – 19,1%
Faltas não justificadas no ano – 8,5%
Total de presenças em comissão – 0%
André de Paula (PSD) – 90%

O deputado estava licenciado no início do ano para ocupar o cargo de Secretário das Cidades de Pernambuco até agosto, quando voltou para a Câmara para reforçar a bancada do partido.

Total de presenças no ano – 90% (36 das 40 sessões deliberativas); no primeiro semestre foi de 83,3%
Faltas justificadas no ano – 7,5%
Faltas não justificadas no ano – 2,5%
Total de presenças em comissão – 87,5%
Augusto Coutinho (SD) – 87,2%

O presidente do Solidariedade em Pernambuco ajudou a eleger no Recife o filho Rodrigo Coutinho, que vai entrar na Câmara dos Vereadores no próximo ano, e em Olinda o prefeito eleito Lupércio, ambos do seu partido.

Total de presenças no ano – 87,2% (82 das 94 sessões deliberativas); no primeiro semestre foi de 92,6%
Faltas justificadas no ano – 5,3%
Faltas não justificadas no ano -7,4%
Total de presenças em comissão – 75,8%
Betinho Gomes (PSDB) – 87,2%

O tucano foi candidato a prefeito do Cabo de Santo Agostinho, na Região Metropolitana do Recife, mas foi derrotado por Lula Cabral (PSB), agora ex-deputado estadual.

Total de presenças no ano – 87,2% (82 das 94 sessões deliberativas); no primeiro semestre foi de 96,3%
Faltas justificadas no ano – 7,4%
Faltas não justificadas no ano -5,3%
Total de presenças em comissão – 83,8%
Cadoca (PDT) – 88,9%

Total de presenças no ano – 88,9% (80 das 90 sessões deliberativas); no primeiro semestre foi de 98%
Faltas justificadas no ano – 11,1%
Faltas não justificadas no ano – 0%
Total de presenças em comissão – 43,5%
Creuza (PSB) – 92,5%

A parlamentar foi candidata a vice-prefeita pela Frente Popular de Salgueiro, coligação que perdeu no município do Sertão pernambucano, mas não faltou durante a campanha.

Total de presenças no ano – 92,5% (49 das 53 sessões deliberativas); no primeiro semestre foi de 100%
Faltas justificadas no ano – 0%
Faltas não justificadas no ano – 7,5%
Total de presenças em comissão – 98,2%
Daniel Coelho (PSDB) – 92,6%

Candidato à Prefeitura do Recife, Daniel Coelho faltou durante a campanha. O tucano não chegou ao segundo turno, disputado por Geraldo Julio (PSB), reeleito, e João Paulo (PT) e, apesar de o seu partido ter apoiado os socialistas, manteve postura de independência.

Total de presenças no ano – 92,6% (87 das 94 sessões deliberativas); no primeiro semestre foi de 100%
Faltas justificadas no ano – 6,4%
Faltas não justificadas no ano – 1,1%
Total de presenças em comissão – 81,2%
Danilo Cabral (PSB) – 90,9%

O parlamentar estava licenciado no início do ano para ser secretário do governo Paulo Câmara (PSB).

Total de presenças no ano – 90,9% (50 das 55 sessões deliberativas); no primeiro semestre foi de 93,3%
Faltas justificadas no ano – 1,8%
Faltas não justificadas no ano – 7,3%
Total de presenças em comissão – 72,3%
Eduardo da Fonte (PP) – 90,4%

Total de presenças no ano – 90,4% (85 das 94 sessões deliberativas); no primeiro semestre foi de 88,9%
Faltas justificadas no ano – 4,3%
Faltas não justificadas no ano – 5,3%
Total de presenças em comissão – 4,8%
Fernando Monteiro (PP) – 91,3%

Total de presenças no ano – 91,3% (84 das 92 sessões deliberativas); no primeiro semestre foi de 88,5%
Faltas justificadas no ano – 3,3%
Faltas não justificadas no ano – 5,4%
Total de presenças em comissão – 87,2%
Gonzaga Patriota (PSB) – 94,7%

Total de presenças no ano – 94,7% (89 das 94 sessões deliberativas); no primeiro semestre foi de 98,1%
Faltas justificadas no ano – 3,2%
Faltas não justificadas no ano – 2,1%
Total de presenças em comissão – 88,2%
Jarbas Vasconcelos (PMDB) – 91,5%

Total de presenças no ano – 91,5% (86 das 94 sessões deliberativas); no primeiro semestre foi de 88,9%
Faltas justificadas no ano – 8,5%
Faltas não justificadas no ano – 0%
Total de presenças em comissão – 76%
João Fernando Coutinho (PSB) – 92,6% 

Total de presenças no ano – 92,6% (87 das 94 sessões deliberativas); no primeiro semestre foi de 90,7%
Faltas justificadas no ano – 5,3%
Faltas não justificadas no ano – 2,1%
Total de presenças em comissão – 88,5%
Jorge Corte Real (PTB) – 79,8%

Total de presenças no ano – 79,8% (75 das 94 sessões deliberativas); no primeiro semestre foi de 87%
Faltas justificadas no ano – 16% 
Faltas não justificadas no ano – 4,3%
Total de presenças em comissão – 51,9%
Kaio Maniçoba (PMDB) – 90,4%

Total de presenças no ano – 90,4% (85 das 94 sessões deliberativas); no primeiro semestre foi de 94,4%
Faltas justificadas no ano – 5,3%
Faltas não justificadas no ano – 4,3%
Total de presenças em comissão – 71%
Luciana Santos (PCdoB) – 80,9%

Ex-prefeita de Olinda, a deputada chegou a disputar o cargo novamente no ano passado, mas não chegou ao segundo turno, ficando em quarto lugar.

Total de presenças no ano – 80,9% (76 das 94 sessões deliberativas); no primeiro semestre foi de 98,1%
Faltas justificadas no ano – 19,1%
Faltas não justificadas no ano – 0%
Total de presenças em comissão – 62,5%
Marinaldo Rosendo (PSB) – 86,2%

Total de presenças no ano – 86,2% (81 das 94 sessões deliberativas); no primeiro semestre foi de 88,9%
Faltas justificadas no ano – 8,5%
Faltas não justificadas no ano – 4,3%
Total de presenças em comissão – 61,5%
Pastor Eurico (PHS) – 92,6%

Total de presenças no ano – 92,6% (87 das 94 sessões deliberativas); no primeiro semestre foi de 96,3%
Faltas justificadas no ano – 6,4%
Faltas não justificadas no ano – 1,1%
Total de presenças em comissão – 87,1%
Ricardo Teobaldo (PTN) – 89,4%

Total de presenças no ano – 89,4% (84 das 94 sessões deliberativas); no primeiro semestre foi de 90,7%
Faltas justificadas no ano – 5,3%
Faltas não justificadas no ano – 5,3%
Total de presenças em comissão – 74,4%
Severino Ninho (PSB) – 90,9%

O socialista chegou à Câmara como suplente.

Total de presenças no ano – 90,9% (40 das 44 sessões deliberativas); no primeiro semestre foi de 92,3%
Faltas justificadas no ano – 2,3%
Faltas não justificadas no ano – 6,8%
Total de presenças em comissão – 95,6%
Sílvio Costa (PTdoB) – 83%

O deputado atuou na campanha do filho dele, Sílvio Costa Filho (PRB), à vice-prefeitura do Recife.

Total de presenças no ano – 83% (78 das 94 sessões deliberativas); no primeiro semestre foi de 85,2%
Faltas justificadas no ano – 6,4%
Faltas não justificadas no ano – 10,6%
Total de presenças em comissão – 41,6%
Tadeu Alencar (PSB) – 94,7%

Total de presenças no ano – 94,7% (89 das 94 sessões deliberativas); no primeiro semestre foi de 92,6%
Faltas justificadas no ano – 3,2%
Faltas não justificadas no ano – 2,1%
Total de presenças em comissão – 82,1%
Wolney Queiroz (PDT) – 84%

Total de presenças no ano – 84% (79 das 94 sessões deliberativas); no primeiro semestre foi de 88,9%
Faltas justificadas no ano – 12,8%
Faltas não justificadas no ano – 3,2%
Total de presenças em comissão – 65,2%
Zeca Cavalcanti (PTB) – 94,7%

No dia seguinte ao primeiro turno, o petebista tirou licença para tratamento de saúde.

Total de presenças no ano – 94,7% (89 das 94 sessões deliberativas); no primeiro semestre foi de 98,1%
Faltas justificadas no ano – 4,3%
Faltas não justificadas no ano – 0%
Total de presenças em comissão – 49,6%
*Guilherme Coelho (PSDB) – 100%

O tucano chegou a assumir como suplente em 2016 em alguns momentos e volta à Câmara em 2017, também como substituto.

Total de presenças no ano – 100% (19 sessões deliberativas); no primeiro semestre foi de 100%
Faltas justificadas no ano – 0%
Faltas não justificadas no ano – 0%
Total de presenças em comissão – 57,1%

Nenhum comentário :

Postar um comentário