segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Sistema penitenciário sob vigilância

Apesar de um dia de visita tranquilo, familiares estavam tensos no Complexo do Curado
Foto: Bruno Campos

Folha de Pernambuco 

O secretário de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico, participará de uma reunião, nesta terça-feira (17), em Brasília, com o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, e outros secretários do setor para discutir soluções imediatas para a crise do sistema penitenciário. A expectativa é de que avancem as discussões para trazer, ao Estado, um dos cinco presídios federais anunciados pela União.

“O local ainda não foi definido, mas estará na pauta da reunião”, afirmou Eurico. A demanda já foi solicitada pelo Governo de Pernambuco. Na semana passada, detentos do Complexo do Curado, na Zona Oeste do Recife, chegaram a tentar provocar um tumulto após uma varredura apreender drogas e armas de fogo. 

Ontem, dia de visita, familiares de presos estavam preocupados. A aposentada Maria Luíza Ribeiro, 68 anos, tem um filho e um neto encarcerados no Presídio Juiz Antônio Luiz Lins de Barros (Pjallb), uma das três unidades do Complexo do Curado. A rotina já dura cinco anos. “É claro que estamos preocupados. É um olho no que está acontecendo no resto do País [rebeliões em outros estados] e outro no que pode acontecer aqui, principalmente depois do que houve na semana passada”, declarou.

Anonimamente, um agente penitenciário disse que, há vários dias, a categoria tem recebido informes de possíveis motins dentro das unidades. “Em virtude do que tem acontecido nos outros lugares, estamos em alerta lá dentro, mas, até agora, nada se confirmou. Mas é difícil saber. Pode estar tranquilo como agora e, em cinco minutos, tudo mudar”, revelou. O discurso é endossado por uma faturista, de 36 anos, que, há dois anos, visita o marido preso no Pjallb. “A gente sente o clima tenso, mas é uma incógnita. Tanto faz acontecer algo como não acontecer nada”, avalia. 

Articulação
Sobre a informação de que detentos estariam articulando uma fuga em massa em uma das três unidades do Complexo Prisional do Curado, Pedro Eurico nega e diz que o fim de semana foi tranquilo. “Tem muita gente querendo implantar ambiente de terror, de pânico, que não existe”, afirmou, destacando que as unidades operam normalmente. 

Recaptura
O último dos quatro homens que fugiram da penitenciária de segurança máxima de Tacaimbó, no Agreste do Estado, na última quinta-feira, foi recapturado por policiais militares na tarde do último sábado. A informação foi divulgada pela Secretaria Executiva de Ressocialização (Seres).

Robério Pessoa da Silva, de 28 anos, foi achado na cidade de Santa Cruz, no Sertão. A captura foi feita por policiais do Grupo de Apoio Tático Itinerante (Gati). Os outros três foragidos - Josias Vieira de Souza, 38; José Jefferson da Silva, 24; e Edson Ramos de Oliveira, 51 - já tinham sido recapturados na sexta-feira passada por integrantes do 22º Batalhão de Polícia Militar mas imediações de Casinhas, no Agreste.

O quarteto conseguiu fugir ao quebrar uma parede do pavilhão de disciplina utilizando uma estaca. Em novembro, outro reeducando já havia escapado da unidade ao danificar um cobogó. Os casos foram alvo de críticas do Sindicato dos Agentes Penitenciários (Sindasp-PE) acerca da fragilidade estrutural da penitenciária, aberta em abril do ano passado. A Seres informou que está adotando medidas para sanar as deficiências.

Nenhum comentário :

Postar um comentário