terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Em Ipojuca, convenção confirma nome de Carlos Santana

Carlos Santana tenta, mais uma vez, governar Ipojuca
Foto: Deyvid França/Divulgação

JC Online

A eleição suplementar de Ipojuca, marcada para o dia 2 de abril, será uma reedição da disputa que ocorreu em outubro do ano passado, com os mesmos grupos políticos. Depois de Célia Sales (PTB), esposa do candidato impugnado Romero sales (PTB), confirmar sua candidatura em uma convenção no último domingo (5), foi a vez da chapa do PSDB anunciar que o ex-prefeito Carlos Santana, que foi derrotado em número de votos por Sales, fazer o seu evento político. O ato foi realizado na noite dessa segunda (6) em um clube de Nossa Senhora do Ó. 

A chapa não segue a mesma do pleito de outubro. O candidato a vice desta vez é Danda Vasconcelos (PP), no lugar de Pedro Serafim Neto (PDT), deputado estadual. Nos batidores do PSDB, comenta-se que a aliança entre Santana e Serafim Neto, que sempre foram adversários políticos, teria contribuído para a derrota da chapa. 

Pedro Serafim Neto nega que houve um rompimento. Ele disse que foi uma decisão do seu partido de não se envolver nas eleições suplementares. Na segunda (6), ele se reuniu com Carlos Santana e anunciou sua decisão. "Não estou preparado para uma nova eleição nesse momento. Vou cuidar do meu mandato legislativo, para o qual fui eleito. Agora não é o meu momento, talvez em 2020 eu pretenda disputar a prefeitura de Ipojuca", disse. 

Ainda de acordo com o deputado, o PDT de Ipojuca realizou sua convenção nesta terça (7) e definiu que a legenda não estará em nenhuma coligação. A decisão será anunciada à Justiça Eleitoral. "Foi muita confusão nessa eleição (de outubro) e não queremos nos envolver na disputa que foi determinada pela Justiça", justificou.
MAU RELACIONAMENTO 

Nas coxias tucanas, fala-se que Carlos Santana não é um participante ativo da vida partidária e que corre um pouco à margem das decisões da legenda. Durante essa segunda (6) e terça (7), além de outros dias da semana passada, a reportagem do JC buscou contato com o candidato, sem sucesso. A queixa da falta de telefonemas também é recorrente entre os líderes do partido. 

Esse possível distanciamento pode ter sido a causa, por exemplo, da ausência do presidente do PSDB-PE, Antônio Moraes, deputado estadual, na convenção, além de outros nomes do partido. Participaram do ato o presidente do PSB-PE, Sileno Guedes, da deputada estadual Simone Santana (esposa do candidato), do prefeito interino, o vereador Irmão Ricardo (PTC) e de vereadores da cidade que compuseram a chapa. 
CAMPANHA

Em sua fala, Carlos Santana prometeu uma campanha intensa. "Vamos bater de porta em porta, olhar nos olhos da população, discutir propostas para avançarmos ainda mais. As pessoas querem ganhar essa disputa com ódio no coração e desse jeito não se ganha nada. Não vamos aceitar provocações, mentiras, agressões. Para cada mentira responderemos com o que já fizemos por Ipojuca e o que muito ainda haveremos de fazer", disse. 

Em dezembro do ano passado, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) determinou a realização de novas eleições em Ipojuca, após o candidato mais votado, Romero Sales, ter a candidatura impugnada devido ao enquadramento na Lei da Ficha Limpa.

Nenhum comentário :

Postar um comentário