domingo, 19 de fevereiro de 2017

Governo garante que policiais vão às ruas e que punirá faltosos

Blog da Folha

O Governo do Estado garantiu que os policias militares estarão nas ruas durante o Carnaval, que os ausentes nas escalas serão punidos e que as mudanças que ocorreram no comando das duas polícias não vão influenciar em nada o que estava previsto para a segurança da festa.

“As forças militares que atuam em Pernambuco não apenas há uma semana. São instituições bicentenárias. Então, o que há é um planejamento de equipe, e não apenas dois homens. Embora sejam muito valorosos, não são apenas dois homens que garantem a segurança do Estado”, afirmou o secretário de Planejamento e Gestão, Márcio Stefanni, responsável por fazer um balanço da reunião do governador Paulo Câmara com os seus secretários, neste sábado (18).

Sobre as garantias que o Governo poderia dar de que os policiais militares, que atualmente estão em operação, atuarão no Carnaval, Stefanni apontou a valorização das categorias como principal fator.

“As categorias foram deveras valorizadas nos últimos tempos. Foram R$ 303 milhões apenas para a Polícia Militar. Houve valorização do Programa de Jornada Extra, que passou de R$ 120 para R$ 200. Lembremos que o PjEs eram jornadas de oito horas. Para se ganhar R$ 960 era necessário sair oito vezes de casa. Agora, para ganhar R$ 1 mil é preciso sair cinco vezes”, pontou Stefanni.

O secretário acrescentou que, ao contrário 87 mil pernambucanos que perderam o emprego no ano passado, os policiais militares e bombeiros vão ter de 25% a 40% de reajuste salarial.

Questionado sobre o que ocorrerá com os policiais que faltarem à escala de trabalho, Stefanni afirmou que a ausência se constituirá em uma infração.

“(Os policiais) serão punidos, assim como aqueles que sublevaram. Acreditamos que, dentre esses 21 mil homens da Polícia Militar e Bombeiros Militares de Pernambuco, em sua maioria esmagadora maioria, são homens de bem, cidadãos que se comprometeram com juramento em prestar segurança ao Estado de Pernambuco.

Em relação aos boatos disseminados perlo WhatsApp, de que a estratégia utilizada pelos PMs no Espírito Santo de colocar as famílias dos PMS na frente dos quartéis poderia ser reproduzida aqui, o secretário afirmou que o Governo colocará os militares nas ruas.

“A medida é colocar os homens na rua. Aquartelamento é cometimento de crime. Quem comete crime deverá ser levado às barras da Justiça. É importante lembrar, mais uma vez, que há um pedido de prisão preventiva formulado pelo Ministério Público contra as lideranças do movimento. Porque ele é ilegal”, afirmou o Márcio Stefanni.

Balanço 

Durante a reunião do secretariado, foi repassado que o Governo de Pernambuco investiu R$ 2,8 bilhões entre os anos de 2015 e 2016 e a maior parte desses recursos foi destinada para a construção de obras hídricas para o enfrentamento da seca no Estado: R$ 818 milhões, que representam 29% do total investido.

Pernambuco está enfrentando o sexto ano consecutivo de estiagem. Os números foram apresentados durante a primeira reunião conjunta do governador Paulo Câmara em 2017 com todos seus secretários.

“Estamos de pé porque tivemos muita responsabilidade. Em Pernambuco, conseguimos fazer mais com menos. Estamos trabalhando muito para isso. Para fazer o certo, fazer o bem”, discursou o governador.

“A determinação do Governo para atingir nossos objetivos continua intacta. Vamos fazer de Pernambuco um Estado melhor para os nosso filhos e netos”, disse Paulo Câmara aos auxiliares. Na sua fala inicial, Paulo Câmara destacou o cuidado que a sua gestão teve com o equilíbrio das contas estaduais, sem deixar de lado os investimentos.

Nenhum comentário :

Postar um comentário