quinta-feira, 23 de março de 2017

Comissão de Cidadania e Direitos Humanos pede celeridade no Caso Itambé

Jovem Edvaldo da Silva Alves recebeu tiro à queima roupa durante protesto
Foto: Reprodução de vídeo

Thiago Cabral
Folha de Perrnambbuco

O advogado da família do jovem Edvaldo da Silva Alves, que foi baleado por um policial militar durante manifestação por segurança, na última sexta-feira (17), em Itambé, na Zona da Mata Norte de Pernambuco, denuncia a insegurança no município e na região. O advogado Ronaldo Jordão pede a troca imediata do policiamento do local. Segundo Ronaldo, já são 150 assaltos em 72 horas e os militares intimidam a população a não prestar queixas.

As denúncias foram feitas durante uma reunião extraordinária convocada pela Comissão de Cidadania e Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Pernambuco. O objetivo é colocar o colegiado à disposição para atuar no caso. "A Delegacia de Itambé fecha sexta às 17h ou 18h e só reabre na segunda às 10h", comentou o advogado durante a reunião. Segundo ele, o único lugar seguro na cidade é a rua que fica na divisa entre Pernambuco e Paraíba, por conta de segurança privada oferecida pelo comandante da Policia de Itambé. 

Tanto o advogado quanto o presidente da Comissão, Edilson Silva, foram impedidos de ver o paciente. "Isso fere o código de ética médica, uma vez que o paciente está em coma", comentou o advogado.O advogado informou que só conseguiu fazer o Boletim de Ocorrência após ir em três delegacias, que se negaram a aceitar a denúncia.

Estavam presentes os deputados Terezinha Nunes, Cleiton Collins, Isaltino Nascimento, Bispo Ossesio Silva, além de Edilson Silva. Será encaminhado ao Ministério Público de Pernambuco um ofício cobrando celeridade no caso. Um outro ofício será encaminhado ao Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe) cobrando clareza sobre o estado de saúde do paciente.

Por meio de nota, o Gabinete de Assessoria Jurídica às Organizações Populares (Gajop) informou que manifesta repúdio a mais uma ação violenta da Polícia Militar de Pernambuco. Veja trecho: "desta vez, a vítima foi Edvaldo da Silva Alves, que, no meio de um protesto contra a situação de insegurança instaurada em Itambé, foi baleado à queima roupa por um policial, arrastado ao bagageiro da viatura e agredido pelo policial que o arrastava".

Nenhum comentário :

Postar um comentário