segunda-feira, 6 de março de 2017

Cotados para o governo estadual vão intensificar viagens pelo Estado

Paulo Câmara vai rodar o Estado este mês e em abril com o Pernambuco Aqui; lideranças polítcas de outros partidos também vão circular pelo território pernambucano
Foto:Roberto Pereira/SEI

JC Online

Os principais personagens políticos de Pernambuco cotados para disputar o governo estadual em 2018 estão rodando o Estado desde o início do ano, mas devem intensificar a agenda no território pernambucano agora que passou o Carnaval. Atual chefe do Executivo estadual e potencial candidato à reeleição, Paulo Câmara (PSB) já tem uma programação definida, mas ainda não divulgada oficialmente, para os meses de março e abril.

Rival de Paulo Câmara em 2014 e disposto a repetir a dose em 2018, o senador Armando Monteiro (PTB) também cairá em campo para consolidar seu nome como líder da oposição estadual. A agenda não foi fechada, mas interlocutores do petebista afirmam que ele vai a Ipojuca, na Região Metropolitana, amanhã, e a Caruaru na próxima sexta. A cidade do Agreste é administrada pela prefeita Raquel Lyra (PSDB), aliada do ministro das Cidades, Bruno Araújo (PSDB), também sempre lembrado para a disputa estadual.

Ao contrário de Armando, que já deixou claro seu interesse em concorrer ao governo, Bruno Araújo despista sobre 2018. O tucano, que também tem seu nome citado como postulante ao Senado, deverá intensificar a agenda do ministério em Pernambuco com ao menos uma visita semanal ao Estado. No começo de abril, Bruno irá a Caruaru junto com o presidente Michel Temer (PMDB) lançar o projeto Cartão Reforma.

Outro ministro apontado como possível candidato majoritário em 2018 é Mendonça Filho (DEM), responsável pela área de Educação do governo Temer. O democrata esteve na última sexta-feira em Afogados da Ingazeira, no Sertão, e um dia antes participou de um ato do ministério no Recife. Eventos dessa natureza, que ajudam a fortalecer a imagem política de Mendonça, irão ocorrer com mais frequência de acordo com aliados do ministro.

As viagens de Paulo Câmara este mês e no próximo ocorrerão, sobretudo, dentro do projeto Pernambuco Aqui, uma espécie de reedição do conjunto de plenárias do Todos por Pernambuco. O governador percorrerá todas as regiões do Estado para, segundo suas próprias palavras, “repactuar as metas” com a população. O objetivo é fazer um balanço das realizações de sua gestão e debater quais projetos terão prioridade para serem executados até 2018.

Antes do Carnaval, Armando esteve em Igarassu, na Região Metropolitana do Recife, para uma reunião com o prefeito e vereadores da cidade. Ele irá intensificar agendas desse tipo este ano, repetindo o que fez em 2014, quando disputou o governo estadual.

Como ministro, Mendonça já passou por Lagoa do Carro, Belo Jardim, Jaboatão, Serra Talhada e São José da Coroa Grande. A cada mês, essa lista será ampliada. Bruno Araújo também não fica atrás e destaca que a cada viagem recursos são liberados e obras são destravadas em benefício da população pernambucana.
ESTRATÉGIA É ANTIGA

“Não há nada de novo debaixo do sol”. A famosa frase bíblica se encaixa perfeitamente na política. O roteiro de viagem das lideranças políticas apontadas como candidatas ao governo estadual em 2018 segue o mesmo script de anos anteriores. Geralmente, o “pé na estrada” ocorre após o Carnaval e se intensifica ao longo dos meses do ano pré-eleitoral.

Em 2014, quando Paulo Câmara (PSB) e Armando Monteiro (PTB) disputaram o governo estadual, as viagens – e a troca de farpas – começaram a se intensificar em março quando os dois nem sequer eram candidatos “oficializados”. Em março daquele ano, inclusive, o senador fustigou o rival, dizendo que não precisava fazer um “intensivão” para conhecer o Estado. A declaração era uma referência ao socialista, então desconhecido da maioria da população e considerado mais um personagem “técnico” do que político.

As movimentações são tão parecidas com as de outros anos eleitorais que dá para fazer um paralelo com 2009. Naquele ano, Eduardo Campos comandava o Estado e já se preparava para disputar a reeleição. O Jornal do Commercio destacou, na época, reportagens cujos títulos remetem às viagens: “Eduardo faz maratona pelo interior” e “Eduardo e a oposição botam o pé na estrada”.

O DEM, partido do ministro Mendonça Filho, foi a sigla que mais fez viagens em 2009 para se contrapor a Eduardo Campos. O PT também se circulou pelo Estado, mas para servir de apoio ao projeto de reeleição do socialista.

Se o cenário do passado voltar a se repetir este ano, mesmo com os partidos em lados opostos aos de antes, é possível dizer que as viagens e as polêmicas estão apenas começando.

Nenhum comentário :

Postar um comentário