quarta-feira, 8 de março de 2017

Henry deve sair federal - Magno Martins

Vice-governador e acumulando a pasta de Desenvolvimento Econômico, Raul Henry (PMDB) trabalha em silêncio na rearticulação das suas bases para voltar à Câmara dos Deputados nas eleições de 2018. Desistiu do projeto de reeleição na chapa do governador Paulo Câmara ou sofre um processo de fritura antecipado? Nenhuma coisa nem outra. Numa conversa com este blogueiro, ontem, em Brasília, Henry confirmou que está renegociando o apoio de prefeitos que o elegeram federal em 2010.

Mas, segundo ele, a estratégia tem relação direta com a possibilidade do hoje deputado federal Jarbas Vasconcelos vir a disputar o Senado na chapa de reeleição do governador. “Se Jarbas entrar na chapa como postulante a senador eu terei que buscar outro caminho, porque o PMDB, embora aliado de primeira hora do PSB, não poderá ter dois espaços na chapa”, alegou.

Henry está convencido de que o cenário mais real passa pela ida de Jarbas para a chapa como candidato ao Senado. Nas idas ao Interior nos últimos meses, o vice-governador já tem tratado diretamente os prefeitos aliados como pré-candidato a deputado federal. “A prioridade do PMDB é Jarbas, nossa maior liderança”, afirmou, adiantando que os prefeitos que tem buscado as primeiras conversas são filiados ao partido ou que o apoiaram em 2010.

Para o vice-governador, voltar ao Congresso depois da experiência no Estado contribuindo com a gestão de Paulo Câmara, não deixa de ser uma experiência enriquecedora e gratificante. “Embora com vocação para o executivo, tenho muita aptidão pelo parlamento”, garante Henry, que veio a Brasília ontem para prestigiar a sessão solene alusiva às comemorações do bicentenário da Revolução de 1817.

Henry iniciou sua trajetória política no movimento estudantil, foi vice-prefeito e secretário de Turismo, Cultura e Esportes da Cidade do Recife, ocupou também os cargos de secretário de Educação e Cultura e secretário de Planejamento de Pernambuco. Entre 1998 e 2002, foi membro do Conselho do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.

Exerceu ainda um mandato de deputado estadual e dois de deputado federal. No Congresso Nacional, foi membro titular da Comissão de Educação e Cultura e das Comissões Especiais do Plano Nacional de Educação (PNE) e da Lei de Responsabilidade Educacional (LRE), sendo relator dessa última.

Nenhum comentário :

Postar um comentário