quarta-feira, 15 de março de 2017

Trabalhadores aderem à mobilização contra Reforma da Previdência

Carteira de Trabalho
Foto: Arquivo/Agência Brasil

Folha de Pernambuco

Centrais sindicais e sindicatos de diversas categorias de Pernambuco paralisam suas atividades nesta quarta-feira (15), aderindo à mobilização nacional contrária à Reforma da Previdência, em curso pelo Governo Federal.

No Recife, pelo menos três categorias – professores, metroviários e trabalhadores dos Correios – declararam aderência ao movimento e paralisarão suas atividades por 24h, a partir da 0h da quarta até a 0h da quinta (16).

A concentração será às 9h, na praça Oswaldo Cruz, bairro da Boa Vista, com presença da Força Sindical de Pernambuco e da Central Única dos Trabalhadores.

Com a paralisação dos metroviários, decidida em assembleia da categoria, a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) informou que as linhas Centro e Sul do metrô do Recife funcionarão das 5h às 9h e das 16h às 20h, horários de pico do sistema. Ainda segundo a CBTU, a Linha Diesel (VLT) não terá operação. A partir da quinta (16), a circulação de trens voltará ao habitual, das 5h às 23h.

Também em assembleia, os trabalhadores da Empresa de Correios e Telégrafos decidiram pela paralisação, suspendendo suas atividades por 24 horas em todo o Estado, seguindo o indicativo vindo da federação da categoria.

Trabalhadores em educação de Pernambuco também aderiram à mobilização contra a Reforma da Previdência. A categoria também vai à rua pelo cumprimento da Lei do Piso Salarial Nacional. O ato foi convocado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE).

Reforma

As categorias protestam contra as propostas da Reforma Previdenciária, entre elas, a que estabelece 65 anos como idade mínima para aposentadoria para homens e mulheres, e a exigência de contribuição por 49 anos para que o trabalhador possa receber o valor integral do salário. Alguns benefícios também poderão ser desvinculados do salário mínimo, diminuindo o valor da aposentadoria ao longo do tempo.

O projeto de reforma da Previdência tramita na Câmara sob a forma de Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 287. "A reforma prejudica o trabalhador. É um momento de unidade das centrais e de todos os trabalhadores que vão ser atingidos por esta reforma. Ela retira os direitos já conquistados ao longo dos anos", explica Rinaldo Júnior, presidente da Força Sindical de PE.

Nenhum comentário :

Postar um comentário