domingo, 9 de abril de 2017

PT escolhe neste domingo novos presidentes de diretórios municipais

Reunindo maior número de tendências internas, Osmar Ricardo deve ser conduzido à presidência do diretório do Recife
Foto: Câmara do Recife/Assessoria de Comunicação

JC Online

Petistas de todo o Brasil escolhem neste domingo (9) os seus novos presidentes para os diretórios municipais. Em Pernambuco, o PT possui cerca de 100 mil filiados, sendo 30 mil no Recife. Também serão escolhidos os delegados para participarem do Congresso estadual da legenda, que ocorrerá de 5 a 7 de maio. As escolhas dos diretórios municipais serão as únicas que ocorrerão pelo voto direto dos filiados. As presidências estaduais e a nacional serão escolhidas através de votos de delegados em Congressos.

Uma das novidades é a redução dos mandatos, que passam de quatro para dois anos. É este grupo que começa a ser eleito hoje que irá coordenar o processo eleitoral de 2018. Em junho, será realizado o Congresso nacional, onde será escolhido o novo presidente nacional da legenda, substituindo Rui Falcão. Nacionalmente, o partido já tem o ex-presidente Lula como pré-candidato da legenda. No Estado, o partido terá como missão eleger deputados federais (em 2014, nenhum membro chegou à Câmara Federal), além de ampliar a bancada estadual, hoje com três cadeiras. Além disso, há a disputa majoritária, com eleição para governador e senadores. Humberto Costa já afirmou que pretende disputar a reeleição na Casa Alta.

As eleições para os diretórios petistas serão realizadas em 3,2 municípios de todo o Brasil. “Isso mostra uma vitalidade muito grande para o partido, principalmente após os desgastes que vêm sendo acumulados desde 2014”, disse o presidente do PT-PE. Em Pernambuco, 70 cidades têm diretórios municipais. Outros 60 municípios que não estão com os diretórios estruturados terão as comissões provisórias escolhidas pela nova direção estadual, que será conhecida em maio. No último Processo de Eleições Diretas (PED), em 2013, participaram em Pernambuco 22 mil filiados. A direção estadual espera que entre 10 mil e 20 mil pessoas participem.

Segundo dirigentes petistas, o clima no partido é de “unidade”. A tendência que não haja disputa de chapas em 60 municípios pernambucanos. Entre os dez diretórios onde não houve acordo, está o Recife. Na capital, o embate ocorrerá entre Osmar Ricardo, que tem o apoio da maioria das forças e tendências petistas do partido, e Prazeres Barros.

“O PT está precisando no momento de convergência. Agora, a gente tem muita clareza que esta unidade tem agora outra dimensão, não é só para o eleitoral, não é só para dentro. Esta unidade também tem que ser levada para fora do partido, para a sociedade, por exemplo, participando de defesas de direitos que estão ameaçados. Em 2018, vamos em busca de reconquistar as nossas cadeiras no Congresso, ampliar a bancada estadual e vamos ter que construir uma candidatura majoritária. Vamos, sobretudo, propor um programa de governo que faça Pernambuco sair desse clima de apatia e retrocesso”, declarou Bruno Ribeiro.
ESTADUAL

Dos 27 Estados do País, apenas dois conseguiram construir uma unidade em torno da chapa estadual - Pernambuco e Acre. Bruno Ribeiro deverá ser reeleito no congresso de maio. Nos bastidores, comenta-se que Bruno conseguiu ter um bom trânsito entre as diversas tendências e correntes da legenda.

Nenhum comentário :

Postar um comentário