sábado, 27 de maio de 2017

Chuvas dos últimos dias elevam nível de barragens em PE, diz Compesa

Barragem do Prata, no município de Bonito
Foto: Divulgação/ Compesa

Folha-PE

As chuvas dos últimos dias elevaram o nível de algumas barragens em Pernambuco. Reservatórios de cidades no Agreste foram os mais beneficiados. No Grande Recife, o maior aumento de volume aconteceu na Barragem de Pirapama, no Cabo de Santo Agostinho, que subiu 46,06% para 54,12% entre quinta (25) e sexta-feira (26).

As outras quatro principais barragens da Região Metropolitana não sofreram alterações significativas dos níveis: a Barragem de Várzea do Una está 35,84% da sua capacidade total; Tapacurá com 32,07%; Duas Unas apresenta 27,82% do seu volume de reservação; e Botafogo registra 13,47%.

A Agência Pernambucana de Águas e Clima (APAC) emitiu alerta de continuidade das chuvas moderadas a fortes no Grande Recife, no Agreste e na Zona da Mata Sul. A previsão também é de céu nublado no Sertão do Estado. Podem ocorrer pancadas fracas de chuva de forma isolada no período da noite.

Agreste
Um dos mananciais que está em pré-colapso no estado, a Barragem do Prata, no município de Bonito, no Agreste, subiu de 9,83% para 11,72%, entre quarta (24) e sexta-feira (26). Com o pequeno aumento, o Prata registra agora 4.939.384 metros cúbicos de água acumulados, o que já garante prorrogar o uso da água da barragem até o mês de agosto deste ano. A Barragem do Prata é responsável pelo abastecimento de água de Caruaru, Agrestina, Santa Cruz do Capibaribe, Ibirajuba, Altinho e Cachoeirinha.

Em março deste ano, a Compesa precisou adotar a medida de redução da exploração do Prata para 200 litros de água por segundo. Desde então, o abastecimento dessas seis cidades está recebendo o complemento pelo Sistema Adutor do Pirangi, que incrementa o Sistema Prata com mais 500 litros de água por segundo.

Em Garanhuns, as três barragens que fornecem água para a cidade elevaram o volume de reservação com as chuvas dos últimos dez dias. A Barragem do Cajueiro aumentou o nível de acumulação de 43% para 48% (6,9 milhões de m³ de água), Mundaú subiu de 23% para 35% (696 mil m³), enquanto Inhumas, que estava em colapso, com 5% da sua capacidade total, agora subiu para 27% (1,8 milhão m³). 

Segundo a Compesa, com essa melhora dos níveis das barragens, será possível garantir a continuidade do fornecimento de água para a cidade até fevereiro de 2018. Se as chuvas continuarem regulares e com esse volume até o final do mês de junho, Garanhuns poderá até sair do rodízio ainda em julho deste ano, informou a companhia.

Ainda no Agreste, a Barragem do Rio Correntes, que fornece água para a cidade de Correntes, está transbordando. A Compesa disse que limpou a barragem neste mês, o que contribuiu para melhorar a acumulação de água no manancial e retirar a cidade do rodízio.

Lagoa do Ouro também teve o calendário reduzido pelas chuvas, passou para um dia com água e um dia sem, depois que regularizou a vazão do Riacho da Palha. A população de Bom Conselho também terá melhorias no abastecimento, após as barragens de Bulandim, Mata Verde e Caboge voltarem a acumular água. A companhia retornou com a captação nos mananciais e estabeleceu um novo calendário de três dias com água e seis dias sem para a cidade - antes era de cinco dias com e dez dias sem.

Zona da Mata
Na Mata Norte, as cidades de Ferreiros e Camutanga são atendidas pelo mesmo sistema de abastecimento, cujas fontes de água, duas barragens de nível, tiveram a vazão regularizada com as chuvas. A Compesa informou que passou a fazer a captação 24 horas por dia na Barragem de Mucambo e voltou a retirar água da Barragem Vundinha. A população de Ferreiros e Camutanga, que juntas somam 16,5 mil pessoas, antes eram abastecidas com o rodízio de dois dias com água e 20 dias sem, agora são atendidas com um calendário de dois dias com água e oito dias sem.

Com as últimas chuvas que caíram em Chã Grande, na Mata Sul, a Compesa voltou a captar água na Barragem dos Macacos, que está transbordando. Com a retirada de 15 litros de água por segundo deste manancial, somados a mais 15 litros por segundo que são captados na Barragem de Siriquita, a Compesa deve divulgar e breve um novo calendário de abastecimento para cidade, que hoje é de dois dias com água para 12 dias sem.

A Barragem de Banho da Negra que abastece Pombos, também está transbordando, o que possibilitou reduzir o rodízio da cidade de dois dias com água e 28 dias sem, para dois dias com água e cinco dias sem.

As barragens de Água Fria de Cima e Água Fria de Baixo, que atendem Sirinhaém, também atingiram a capacidade máxima de reservação e estão vertendo. Na cidade é realizado o rodízio de 24 horas com água e 48 horas sem. Em Escada, as chuvas regularizaram o nível do Rio Sapocagy, principal manancial que atende a cidade e que estava em pré-colapso. A Compesa voltou a captar água no manancial 24 horas por dia, o que permitiu adotar o novo calendário de abastecimento em Escada, que é de um dia com água e um dia sem.

Nenhum comentário :

Postar um comentário