domingo, 18 de junho de 2017

Alckmin reúne 15 lideranças, sendo cinco de Pernambuco - Renata Bezerra de Melo

Governador de São Paulo, Geraldo Alckmin recebe, neste domingo (17), 15 lideranças nacionais para um encontro, marcado para as 16h, na casa do advogado Heleno Fragoso. Na lista de convidados, constam cinco pernambucanos: Jarbas Vasconcelos, Raul Henry, Gustavo Krause, Antônio Lavareda e José Jorge. Na relação, ainda figuram nomes como Rubens Bueno, Heráclito Fortes e Benito Gama. O gestor paulista, que fez o dever de casa na eleição de 2014, dando, inclusive, vitória, a Aécio Neves, em São Paulo, maior do que a conquistada pelo mineiro em Minas Gerais, comanda o referido encontro no momento em que seu partido aparece rachado em relação a permanecer ou desembarcar do governo Michel Temer. Há, nesse contexto, um vácuo de lideranças no PSDB, uma vez que Aécio Neves foi mais duramente atingido pela Operação Lava Jato. No dia em que o tucanato decidiu por permanecer na gestão Temer, Alckmin chegou a posicionar-se, defendendo não ser importante que o PSDB tivesse ministro na administração peemedebista. Apesar de o nome de João Doria surgir, ventilado como presidenciável, um dos porta-vozes do grupo de Alckmin, o prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa, já declarou que o PSDB “não precisa de um plano B“. Em relação a Pernambuco, Alckmin já teve outras reuniões com Jarbas Vasconcelos, cujo nome, por mais de uma vez, já apareceu cotado para assumir, eventualmente, um ministério, função que já foi ocupada por Krause e José Jorge na gestão FHC.

Novas notificações no PSB
No mesmo dia do almoço oferecido por Rodrigo Maia a socialistas, na última terça-feira, como a coluna antecipou, alguns deputados do PSB foram notificados, em nova etapa dos processos aos quais respondem no Conselho de Ética da sigla

Provocação : Para uns, soou como nova provocação, outros ainda estudam com mais calma a possibilidade de deixar mesmo a sigla. No DEM, a migração de, ao menos, 10 deputados socialistas, vem sendo dada como certa. 

Sem bronca : No PSB pernambucano, há quem veja como impensável a possibilidade de o senador Fernando Bezerra Coelho migrar para o DEM. “Dá para imaginar ele no DEM?”, indaga um. Há correligionários de Fernando, no entanto, lembrando que o senador iniciou sua trajetória no PDS, que deu origem ao PFL. Em outras palavras, isso não seria empecilho.

Não por isso : A despeito da tese de que o DEM não seria atrativo suficiente para socialistas, há quem defenda, em meio a essa articulação, que, diante da situação do PMDB, do PT, do PSDB, do PP, entre outros, “o DEM, hoje, ainda é o mais limpo”.

Prévia : O DEM já havia feito convite a João Fernando Coutinho em 2015, uma vez que o PSB não deu legenda a ele para que concorresse à Prefeitura de Jaboatão. 

Quem tem tempo : Ministro de Minas e Energia, Fernando Filho, a interlocutores, já grifou que vários partidos estão procurando os deputados, oferecendo legenda, não só o DEM.

Bolso : Tem deputado chateado com a postura do PSB de pressionar deputados. “Eu mesmo tive que contratar advogado para me defender. Essa semana teve nova citação, pedindo que faça perguntas às testemunhas - deram 48 horas, depois botaram até terça”, queixou-se um deles.

Nenhum comentário :

Postar um comentário