sexta-feira, 5 de março de 2021

Prefeitura de Paulista inicia plantio de mudas nativas da Mata Atlântica e plantas ornamentais nas áreas públicas


Ato simbólico iniciou na manhã desta sexta-feira (05.03), na Praça do Conjunto Beira Mar, no Janga.

No momento da pandemia mundial, o papel da arborização é fator essencial para o sistema respiratório dos seres humanos. Além de contribuir para a melhoria da qualidade de vida das pessoas, colabora na saúde do ecossistema e as árvores ajudam a combater o chamado efeito estufa. 

No caminho da preservação ambiental e no cuidado às pessoas, a Prefeitura do Paulista começou, nessa sexta-feira (05.03), o plantio de mudas de árvores nativas da Mata Atlântica e plantas ornamentais nas áreas públicas, em parceria com o Projeto Ecograna e cidadãos voluntários. 

O objetivo é conectar o poder público juntamente com a sociedade civil organizada, instituições do terceiro setor e iniciativa privada para mudar o cenário do aquecimento global e desmatamento em nossa cidade.

Escolhida para ser a primeira contemplada, a Praça do Conjunto Beira Mar, no Janga, ganhou vida! A previsão é que até o dia 12 de março, sejam plantadas 200 mudas de árvores nativas da Mata Atlântica e plantas ornamentais, somente nesse local. 

Numa visão macro, o município estima plantar 3.000 mudas em diversas áreas públicas, até o final de 2021. As mudas são das seguintes espécies: Ipê Amarelo/Branco, Palmeira Manila, Palmeira Cica, Flamboyant, Palmeira Imperial e Baobá. 

Coordenada pela Secretaria de Desenvolvimento Urbano, Tecnologia e Meio Ambiente, a ação é idealizada pelo Projeto Ecograna, de cunho não governamental, que recebeu as doações das mudas da empresa A Sementeira e escolheu Paulista para ser a cidade piloto. 

"Estamos na busca por mais espaços arborizados, iniciando em Paulista e depois em toda a Região Metropolitana do Recife (RMR)", disse a coordenadora do Projeto Ecograna, Risolene Oliveira, que participou do plantio desta sexta-feira (05.03), ao lado de outro coordenador Fábio Pereira. Para aguar as árvores e plantas, o Projeto Ecograna conta com voluntários, moradores da região.
Da esquerda para a direita. Silvio Batista, coordenador do NSU; Cláudio Nunes, secretário de Desenvolvimento Urbano, Tecnologia e Meio Ambiente; Clécio Araújo, secretário executivo de Meio Ambiente.

O secretário de Desenvolvimento Urbano, Tecnologia e Meio Ambiente, Cláudio Nunes, participou do plantio e reforçou a importância do ato simbólico para o município. Ele também citou a parceria feita com o Projeto Lixo Zero, realizada na última semana. "Que aqui, também, seja um exemplo de cidadania para deixar nossa cidade cada vez mais feliz e viva!" Determinadas áreas públicas da cidade serão escolhidas para receberem mudas para plantio, através de um projeto ambiental pioneiro no município, o ArBora - desenvolvido pelo Núcleo de Sustentabilidade Urbana (NSU), da secretaria. O ArBora é responsável pelo levantamento, planejamento e execução da arborização urbana das preservações e ampliações das áreas verdes, propiciando melhoria na qualidade de vida da população.

O secretário executivo de Meio Ambiente, Clécio Araújo, disse que o município vai atrás de novas parcerias para trazer mais mudas. "Nós estamos articulando com outros órgãos que possam também colaborar", contou. Baobá Quem também participou do ato simbólico foi a coordenadora de Igualdade Racial da Secretaria de Polícias Sociais e Direitos Humanos do município, Nathalia Valeska. Ela destacou as comunidades tradicionais de terreiro na preservação da natureza, inclusive no plantio de mudas de raízes africanas como o Baobá. "Esse momento é duplamente importante, pois estamos dialogando a importância de árvores de origem africana no município que traz toda simbologia para o culto e foco das matrizes. Sem folha não tem Orixá!"


Nathalia Valeska mostrando o baobá.

Secretaria de Imprensa

Nenhum comentário :

Postar um comentário