sexta-feira, 24 de novembro de 2017

Charge do Ronaldo - Jornal do Commercio


Educadora agride aluno dentro de escola e causa revolta em internautas



JC Online

Um vídeo no mínimo perturbador caiu nas redes sociais e tem recebido críticas dos internautas. Uma mulher, que aparenta ser professora, grita com um aluno dentro da sala de aula. O estudante, que não responde, permanece sentado numa das cadeiras da sala enquanto a mulher toca bruscamente em seu rosto e grita para que ele "chame" alguma coisa com outro colega de sala. O caso aconteceu na Escola Municipal Alexandre José Barbosa Lima, no bairro de Caixa D'Água, em Olinda, Grande Recife, na última terça-feira (21).

O vídeo de 22 segundos começa com um colega de classe do garoto agredido gritando em cima do seu rosto, exigindo que o menino o chame. A mulher aparece logo depois, batendo nas mãos do garoto e exigindo a mesma coisa. "Pegue a boquinha linda aqui e chame", diz a mulher. Ela sacode o rosto do menino, bate em suas mãos e grita com ele a todo o momento. O garoto ainda tenta afastar a mulher, mas sem sucesso. "Vá, meu filho, seja homem", grita a mulher.

Em um post numa rede social, uma internauta comentou "Que absurdo. Ela merece ser presa". Outra questiona a agressividade da mulher com a criança "Por que ela está fazendo isso com ele?". "Estou indignada!!! Esse monstro precisa ser presa !!!!", revolta-se outra mulher no post.

No vídeo, a maioria dos outros alunos da classe não se manifesta e observa a cena calados. Um deles ainda fala, mas a frase é inaudível

Resposta

A Secetaria de Educação de Olinda emitiu uma nota explicando que a mulher, na verdade, é estagiária da Escola Municipal Alexandre José Barbosa Lima. No entanto, diante do fato, o contrato dela será reincindido. Veja a nota completa:

A respeito do episódio registrado na Escola Municipal Alexandre José Barbosa Lima, em Caixa D'Água, a Secretaria de Educação de Olinda esclarece que a estagiária envolvida no caso vinha atuando na unidade desde maio e mantinha um bom comportamento. Mas diante do fato, o qual a gestão repudia veementemente, a mesma terá o contratado rescindido. A Secretaria de Educação, por sua vez, está prestando todo o apoio necessário ao estudante.

Mulher queimada viva pelo ex-companheiro é enterrada em Abreu e Lima

O enterro foi na tarde desta sexta-feira (24), no cemitério público de Abreu e Lima
Foto: Anderson Nascimento/SJCC

JC Online

Foi enterrada na tarde desta sexta-feira (24) a mulher que teve o corpo incendiado pelo ex-companheiro, em Abreu e Lima, Região Metropolitana do Recife. Mirela dos Santos Oliveira, de 26 anos, morreu nessa quinta-feira (23), no Hospital da Restauração (HR), vítima de uma parada respiratória. Ela estava internada desde o dia 8 deste mês. Mirela deixa dois filhos, um menino de quatro anos e uma menina de sete.

De acordo com familiares, Mirela estava separada do suspeito, identificado como Vado Moura, há cerca de um mês. Porém, o homem não aceitava o fim do relacionamento e teria cometido o crime usando gasolina, na frente do próprio filho de quatro anos. Ainda de acordo com parentes, Mirela se jogou em pelo menos duas caixas d'água para tentar apagar o fogo do seu corpo, mas as chamas não acabavam.

Dias após o crime, o suspeito chegou a ir até a casa dos pais de Mirela para buscar seu filho, porém, os familiares da criança não permitiram que ele levasse o garoto.

Sob forte comoção, parentes e amigos de Mirela compareceram ao cemitério para se despedir da jovem que foi velada com caixão fechado. Muitos vestiram branco, em forma de manifestação e para cobrar justiça. Um parente da vítima, que preferiu não ser identificado, cobrou mais empenho da polícia para prender o suspeito do crime. "Gostaria muito que a delegada Gleide Ângelo ficasse com a investigação deste caso ou alguém que resolva e não deixe esse crime impune", cobrou o familiar.

Outra vítima do suspeito

Uma ex-companheira de Vado Moura, que também preferiu não se identificar, compareceu ao enterro de Mirela. A mulher contou que viveu com o suspeito durante sete anos e que começou a sofrer agressões verbais e físicas do homem nos dois últimos anos de convivência. Em setembro de 2010 ela conseguiu romper relações com Vado, mas ele não aceitava a separação. E de acordo com a mulher, o homem tentou mata-lá em março de 2011. Ele foi até o trabalho dela e desferiu cinco golpes de faca na ex-companheira, que foi socorrida por colegas de trabalho. "Meu sentimento primeiro é de revolta porque a gente vê que Justiça poderia ter feito algo para que não chegasse a ocorrer esse crime. E tristeza porque é uma família que foi destruída, filhos vão ficar sem mãe. Quero que a Justiça seja feita na sua medida certa", expressou a mulher.

Número de portadores de HIV cresceu 18% nos últimos quatro anos

Teste rápido para detectar HIV
Foto: Cesar Brustolin/SMCS

Folha de São Paulo

Nos últimos quatro anos, a proporção de pessoas vivendo com HIV no país cresceu 18%, passando de 71%, em 2012, para 84%, em 2016. Por outro lado, no mesmo período, aumentou em 15% o percentual de diagnosticados com o vírus em tratamento -de 62% em 2012, para 72%, em 2016.

Os dados são do relatório de monitoramento clínico do HIV, do Ministério da Saúde, que foi divulgado na quinta-feira (23). Nos primeiros seis meses deste ano, o levantamento aponta que quase 35 mil pessoas iniciaram tratamento contra a doença.

Em 2016, das pessoas que estavam tomando antirretroviral há pelo menos seis meses, 91% delas alcançaram a supressão viral, quando a carga fica abaixo de mil cópias de vírus para cada miligrama de sangue, um indicador de sucesso porque quanto menor fora a quantidade de vírus no organismo, menor é a chance de transmissão. Em 2012, esse percentual era de 85%.

Também caiu o tempo que uma pessoa leva, entre o diagnóstico e o início do tratamento do HIV : de 161 dias para 42. Até 30 de junho, haviam no país 517 mil pessoas em tratamento antirretroviral. A taxa de abandono ou interrupção do tratamento se mantém em 9% -o índice segue constante desde 2013.

Jovens
O relatório mostra ainda que o maior desafio do país é inserir os jovens no tratamento. Apenas 56% das pessoas que vivem com HIV e que têm entre 18 e 24 estão tomando antirretroviral. E destes, menos da metade apresentavam carga viral baixa. O SUS (Sistema Único de Saúde) financia toda a terapia antirretroviral do país. O governo diz que gastou R$ 1,1 bilhão com o programa em 2017.

Lançado pelo segundo ano seguido, o Relatório de Monitoramento Clínico do HIV avalia as metas 90-90-90: (90% das pessoas vivendo com HIV diagnosticadas); (90% das diagnosticadas em terapia antirretroviral); e (90% das diagnosticadas em terapia antirretroviral com supressão viral), até o ano de 2020 para o Brasil. As metas foram instituídas em 2014 pelo Programa das Nações Unidas para Aids (UNAIDS).

Juiz faz palestra sobre mudanças na Lei da Adoção


O juiz da Vara da Infância e Juventude do Paulista, Ricardo de Sá Leitão, realiza uma palestra neste sábado (25.11), às 15h, para pais adotivos, pretendentes à adoção e o público em geral. O magistrado abordará as mudanças realizadas na Lei da Adoção. O evento é gratuito e coordenado pelo Grupo de Apoio à Adoção do Paulista (GAAP). O encontro ocorre no auditório do Ministério Público de Pernambuco, na Avenida Senador Salgado Filho, s/n, Centro, Paulista.

Câmara paga por mês R$ 127,8 mil de aposentadoria para deputados cassados

G1

A Câmara dos Deputados desembolsa, mensalmente, cerca de R$ 127,8 mil em aposentadoria para dez ex-deputados federais que tiveram o mandato cassado.

O pagamento não é ilegal, e o benefício é abastecido com contribuições dos próprios parlamentares e em parte com dinheiro público.

Desse grupo de parlamentares, nove tiveram o mandato cassado por envolvimento em acusações de corrupção ou improbidade administrativa (veja a lista completa ao final da reportagem).

Esse valor pode aumentar caso o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), decida conceder o benefício ao ex-deputado José Dirceu (PT-SP), condenado a mais de 30 anos de prisão na Operação Lava Jato.

Dirceu contribuiu por 35 anos e entrou com um pedido de aposentadoria como ex-deputado, no valor de R$ 9.646,57 mensais.

A palavra final caberá ao presidente da Câmara, que está com o processo há cerca de dois meses. Ao G1, Maia disse que ainda não tem previsão de quando irá decidir sobre o caso.

IMAGEM DE ARQUIVO: O ex-deputado Roberto Jefferson sorri após deixar o Hospital Samaritano, no Rio, em 2016 (Foto: Marcelo Fonseca / Brazil Photo Press / Agência O Globo)

Valor mais alto

Nesse grupo de deputados cassados, o valor mais alto, de R$ 23.344,70, é pago ao ex-deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ), pivô do escândalo do mensalão petista e que acabou cassado em 2005.

Por meio de sua assessoria de imprensa, ele argumentou que contribuiu para ao regime da Câmara ao longo dos 24 anos em que foi deputado, além de ter recolhido para o INSS por 20 anos.

Ele ainda explicou que recebe um valor maior porque se aposentou por motivo de doença e que, por isso, não tem Imposto de Renda descontado.

O G1 tentou contato com os demais parlamentares cassados ou parentes deles, mas não conseguiu localizá-los.

Como a aposentadoria funciona

A lei prevê aposentadoria a ex-deputados proporcional ao tempo de contribuição durante o mandato.

A adesão ao Plano de Seguridade Social dos Congressistas (PSSC), criado em 1997, é opcional. O deputado que aderir tem que contribuir com R$ 3.713,93, correspondente a 11% do seu salário, que é de R$ 33.763,00. Nesse caso, a Câmara contribui também com o mesmo valor.

Para a concessão integral da aposentadoria, é preciso ter 35 anos de contribuição e 60 anos de idade.

O deputado que não ingressar no plano tem que contribuir obrigatoriamente para o INSS com R$ 608,44, que é o limite. A Câmara, então, recolhe R$ 7.427,86, o que corresponde a 22% do subsídio parlamentar.

Confira a lista de deputados cassados que recebem aposentadoria:

Roberto Jefferson (PTB-RJ): R$ 23.344,70

Cassado em 2005, após seis mandatos na Câmara. Pivô do escândalo do mensalão, foi condenado, em 2012, a sete anos de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Pedro Corrêa (PP-PE): R$ 22.380,05

Cassado em 2005, teve seis mandatos na Câmara. No mensalão, foi condenado a sete anos e dois meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Na Lava Jato, foi preso enquanto cumpria pena e delatou sobre desvios na Petrobras.

Jerônimo Reis (DEM-SE): R$ 18.690,24

Cassado em 2010, teve três mandatos. O ex-parlamentar foi condenado por improbidade administrativa pelo Ministério Público por nomear funcionários fantasmas quando era prefeito do município de Lagarto (SE).

Carlos Benevides (PMDB-CE): R$ 12.070,27

Cassado em 1994, após dois mandatos. Esteve envolvido no escândalo conhecido como “Anões do Orçamento”, descoberto em 1993 e investigado pela CPI do Orçamento. De acordo com o processo, os parlamentares faziam emendas que destinavam dinheiro para entidades ligadas a familiares e laranjas.

Ibsen Pinheiro (PMDB-RS): R$ 12.070,27

Cassado em 1994, teve quatro mandatos na Câmara. Presidiu a Casa durante o processo de impeachment do presidente da República Fernando Collor. Foi cassado por quebra de decoro parlamentar por envolvimento na CPI do Orçamento, sendo absolvido anos depois.

Raquel Cândido (PTB-RO): R$ 12.070,27

Cassada em 1994, após oito anos como deputada federal. Também perdeu o mandato por envolvimento no escândalo dos "Anões".

Narciso Mendes (PP-AC): R$ 8.778,38

Cassado em 2003, teve dois mandatos. O plenário da Câmara cassou o mandato em cumprimento de decisão da Justiça Eleitoral do Acre, que declarou a inelegibilidade do deput

Feres Nader (PTB-RJ): R$ 8.778,38

Cassado em 1994 também por quebra de decoro parlamentar pela participação do escândalo conhecido como "Anões do Orçamento".

José Geraldo Ribeiro (PMDB-MG): R$ 8.778,38

Cassado em 1994, teve dois mandatos. Perdeu o cargo por quebra de decoro parlamentar também pela participação no escândalo dos "Anões".

Francisco Pinto (PMDB-BA): R$ 937,00

Cassado em 1974, teve quatro mandatos. Foi processado por ter denunciado, em discurso na tribuna, violências praticadas pelo ditador General Pinochet, do Chile. Foi condenado a seis meses de prisão e perdeu o mandato. Morreu em 2008 e a mulher dele passou a receber a pensão.

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Charge do Jaguar - o Dia


Museu Pinacoteca ainda é desconhecido para o público pernambucano

Vinte e quatro painéis, com pinturas de arte sacra colonial, formam o acervo do Museu Pinacoteca de Igarassu
Foto: JC Imagem

JC Online

Sessenta anos de história, um acervo de pintura sacra único na América Latina e ainda um ilustre desconhecido para a maioria dos pernambucanos. O Museu Pinacoteca de Igarassu, na Região Metropolitana do Recife, completou seis décadas este ano com o desafio de atrair o visitante local para descobrir seus tesouros.


Instalado no pavimento superior do prédio do Convento de São Francisco, o Museu Pinacoteca foi oficialmente inaugurado em 27 de agosto de 1957. De lá para cá, só fechou as portas uma vez, em 1985, para ser restaurado, retomando suas atividades em 1993.

Jorge Barreto, secretário-executivo do Patrimônio Histórico de Igarassu, diz que, apesar do rico acervo de arte sacra colonial, o espaço atrai mais turistas estrangeiros do que brasileiros. E, mesmo entre os visitantes nacionais, a maior procura é de pessoas vindas do Sul e Sudeste do País. Nas contas do secretário, o espaço recebe o dobro de turistas de outros Estados, em comparação com os visitantes locais.

“Infelizmente, o pernambucano não costuma sair de casa para conhecer essa coleção tão preciosa. O Museu Pinacoteca fica a 200 metros da Igreja Cosme e Damião, que é muito mais visitada. Queremos divulgar o local para que os moradores de Igarassu, das cidades vizinhas e de todo o Estado, se apropriem dele. É um espaço vivo, cheio de história, da nossa história”, destacou Barreto. Para conhecer o museu, o visitante paga uma taxa de R$ 4.
PROGRAMAÇÃO

Desde a última segunda-feira, a prefeitura de Igarassu vem promovendo uma série de atividades para marcar o aniversário do Museu Pinacoteca. A programação encerra-se hoje, com uma palestra, às 8h30, sobre o patrimônio imaterial, com Giorge Patrik Bessone, do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e Jacira França, da Fundarpe. À tarde, às 14h, será realizada uma oficina sobre restauro e arqueologia histórica, com Roberto Carneiro, também da Fundarpe. Para fechar a comemoração, às 19h, haverá a apresentação da Orquestra Heitor Villa Lobos.

Evento discute os caminhos para uma política justa e inclusiva em PE


Movimento Acredito/Divulgação

TV Jornal

Com o objetivo de promover uma renovação política nas próximas eleições, o Movimento Acredito promove um encontro entre voluntários do projeto e grupos, iniciativas e empreendedores sociais pernambucanos. O evento acontece no próximo sábado (25), durante o Festival Vox de Inovação Social, no Parque Santana, vai gerar uma discussão sobre os caminhos para uma política mais justa e inclusiva em Pernambuco. 

O Movimento vai apoiar candidatos que nunca concorreram anteriormente e os nomes serão escolhidos por votação popular. “O Acredito surge como plataforma para pessoas e iniciativas que, acreditando que é possível construir política de baixo para cima, vem mobilizando a sociedade ao redor de causas centrais para um país mais ético, justo e desenvolvido. O Acredito busca unir essas iniciativas para a fortalecer a todos”, destaca o pernambucano Felipe Oriá, cofundador do movimento Acredito.

Encontro

O encontro acontece a partir das 9h, com a participação movimentos sociais, como Meu Recife, Orbe Político, Politiquê, Recife GovJam, Recapibaribe, Somos Todos Muribeca, Diretoria LGBT e Ocupe Passarinho. A entrada é gratuita e serão realizadas atividades e debates durante todo o dia. No fim da tarde, dentro do Festival Vox de Inovação Social, o cantor Lenine fará um show gratuito.

CCJ da Câmara aprova fim do foro privilegiado para a maioria dos políticos

Folha de São Paulo

A Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (22) proposta de emenda à Constituição que restringe o foro privilegiado na Justiça aos presidentes da República (e o vice), da Câmara, do Senado e do STF (Supremo Tribunal Federal).

Já aprovada pelo Senado, a PEC segue agora para análise de uma comissão especial, último passo antes de ficar pronta para votação no plenário da Câmara. Não há prazo para que essa tramitação seja cumprida.

A votação na Câmara ocorre na véspera da análise pelo STF de uma proposta relatada pelo ministro Luís Roberto Barroso que limita o foro apenas a políticos acusados de crimes cometidos no exercício do mandato e relacionados a ele. Quatro dos 11 ministros do STF já se manifestaram a favor desse entendimento: Barroso, Marco Aurélio, Rosa Weber e Cármen Lúcia.

Hoje autoridades têm foro privilegiado na Justiça, a depender do cargo que exercem. O presidente da República, ministros e congressistas, por exemplo, só podem ser processados criminalmente pelo STF. Governadores de Estado, pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça).

Caso o STF decida restringir o foro, a regra permanecerá apenas para aqueles suspeitos de crimes relacionados ao mandato e que tenham sido cometidos durante seu exercício. Se a proposta em tramitação na Câmara for aprovada e promulgada, entretanto, acaba o foro privilegiado para a maioria dos políticos, que passarão a ser julgados na Justiça de primeira instância.

Vários deputados indicaram, entretanto, que pretendem apresentar emendas ao texto na comissão especial (a CCJ analisa apenas se a proposta se enquadra nas regras constitucionais e legislativas). Se o texto for alterado, volta para análise do Senado (há possibilidade de promulgação fatiada daquilo que tenha sido aprovado de forma idêntica pelo Senado e pela Câmara).

Críticos do foro privilegiado afirmam que a atual regra leva à impunidade, devido à morosidade e baixo índice de condenações nos tribunais superiores. Os defensores argumentam que, na primeira instância, o poder de influência dos políticos sobre a magistratura local representará uma chance maior de impunidade.

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Ônibus ganha duas catracas no embarque

Ônibus está circulando com duas catracas
Foto: Arthur de Souza

Luiz Filipe Freire
Folha de Pernambuco

Um ônibus do sistema de transporte municipal de Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife (RMR), é o primeiro do Estado a contar com uma segunda catraca para embarque. O novo equipamento fica na parte dianteira do coletivo, ao lado da catraca que já existia, e permite que os usuários formem uma segunda fila na hora de pagar a passagem. O objetivo é agilizar o embarque, sobretudo de estudantes, que costumam ter dificuldades com a biometria digital ao usar o Vale Eletrônico Metropolitano (VEM). O teste está sendo feito no veículo 228 da linha 409-Curado IV/Barra de Jangada, conhecida pela grande demanda. O setor empresarial não descarta, em breve, levar a medida a outras linhas da RMR.

O funcionamento é simples: quem paga em dinheiro, vai para a catraca antiga, perto da qual continua o cobrador. Quem usa o VEM pode recorrer a qualquer uma das catracas, já que ambas têm validadores do VEM. Diretor de Transporte Rodoviário da Associação Nacional do Transportador e dos Usuários de Estradas, Rodovias e Ferrovias em Pernambuco (Antuerf), Jailson Silva explica que o modelo já existe em linhas de ônibus de alta demanda de São Paulo. "Essa linha, a Curado IV/Barra, tem a mesma característica: uma movimentação de passageiros muito grande. Estimo que umas 20 escolas estejam no trajeto desse ônibus. Ele enche e esvazia várias vezes, transporta muito estudante, que demora mais para passar pela catraca porque tem que colocar a digital no validador", observa.

A Empresa Metropolitana, que opera essa linha no transporte de Jaboatão, gerido pela prefeitura, e mais 52 no Sistema de Transporte Público de Passageiros da RMR, gerenciado pelo Grande Recife Consórcio de Transporte (GRCT), disse que o teste terá resultados compartilhados com o GRCT e, "se houver interesse do órgão", poderá "ser expandido", ainda que não haja previsão para isso.

Questionada se a necessidade de uma segunda catraca para agilizar o embarque é o reconhecimento de que a biometria digital tem gerado problemas à operação, a empresa afirmou que o setor acompanha o desenvolvimento de tecnologias e soluções aplicadas ao transporte público e "tem implantado medidas que impactam positivamente na operação do sistema, conferindo maior qualidade, agilidade e segurança ao serviço". Já o GRCT informou que sua Diretoria de Operações discutiu o tema com técnicos de São Paulo, onde já há a segunda catraca em alguns ônibus, mas que não há debate sobre a implantação da medida nas linhas que gerencia.previsão para isso.

O ônibus 228 da Metropolitana é o primeiro a ter um segundo bloqueio na hora do embarque, mas não é o único, no Estado, a ser alvo de testes com mais de uma catraca. Como a Folha de Pernambuco mostrou em primeira mão há duas semanas, veículos das linhas 139-TI Cabo/TI Cajueiro Seco e 1984-Loteamento Bonfim/TI Abreu e Lima também estão circulando com uma segunda catraca, só que perto da porta traseira, para o desembarque. O objetivo é dificultar que usuários entrem nos ônibus sem pagar a passagem. A medida não é unanimidade, já que também atrapalha passageiros idosos ou que estiverem com sacolas ou outras cargas a bordo.previsão para isso.

Uber revela que hackers roubaram dados de 57 milhões de usuários

AFP

O Uber disse nesta terça-feira (21) que hackers roubaram os dados de 57 milhões de usuários do serviço de transporte em todo o mundo no final de 2016. Entre esses 57 milhões de usuários, há 600.000 motoristas, cujos nomes e números de carteiras de habilitação foram hackeados.

Os nomes dos usuários, assim como seus e-mails e números de telefone foram roubados, informou o diretor-executivo do Uber, Dara Khosrowshasi, em um comunicado. Baseado em uma investigação externa, o diretor-geral do Uber afirmou que a informação sobre os trajetos realizados, os números de cartões de crédito e contas bancárias, os números de seguridade social e datas de nascimento dos usuários não foram roubados.

Khosrowshasi, nomeado para comandar o aplicativo em agosto, disse ter sido informado "recentemente" do incidente e que duas pessoas alheias à companhia seriam os responsáveis. "Nada disso deveria ter acontecido, e não vou arranjar desculpas para isso", acrescentou Khosrowshahi, embora tenha destacado que "o incidente não afetou os sistemas da empresa, nem sua infraestrutura".

Dois membros da equipe de segurança da informação do Uber, que "comandaram a resposta" ao incidente e não alertaram os usuários que seus dados tinham sido violados foram demitidos da empresa com base em San Francisco, disse Khosrowshasi.

De acordo com uma fonte próxima ao caso, o Uber teria pago 100.000 dólares aos hackers para que destruíssem as informações, sem divulgar aos usuários ou aos motoristas, cujos dados estavam em risco.

O roubo de dados foi um novo golpe para a reputação do Uber, que tenta deixar para trás as acusações de falhas na verificação de antecedentes criminais de seus motoristas e de assédio sexual dentro da companhia.

Óleo de cozinha usado pode ser trocado por desconto na conta de luz

Jornal do Commercio

A Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) está oferecendo um bônus na conta em troca de óleo de cozinha usado. O projeto Vale Luz Celpe recebe o material nos containers instalados no Shopping Recife, na Zona Sul do Recife, e no centro de Belo Jardim, no Agreste de Pernambuco. São aceitos todos os óleos vegetais como óleo de soja, canola, girassol, gergelim, amendoim, de milho, óleo de coco, de algodão e mamona, além de azeite de oliva e azeite de dendê.

O óleo, que muitas vezes é descartado de forma inadequada poluindo o meio ambiente, será trabalhado pela empresa Indama e transformado em uma série de produtos, como biodiesel, velas, ração para animais, sabão, produtos de limpeza, tintas e vernizes. Por ano, o Brasil produz em torno de três bilhões de litros de óleo vegetal, segundo dados da Associação Brasileira para Sensibilização, Coleta e Reciclagem de Resíduos de Óleo Comestível (Ecóleo). Disso, mais de 200 milhões de litros de óleo de cozinha são despejados na natureza mensalmente. Segundo pesquisa, cada litro de óleo pode contaminar até 25 mil litros de água potável.

Além do óleo de cozinha, é possível obter descontos por meio do Vale Luz Celpe trocando também materiais como: papel, papelão, metal e plásticos. Todos os itens devem estar limpos para não haver dificuldade na pesagem ou a proliferação de animais transmissores de doenças.

Armazenamento

Depois de usado, o óleo deve ser totalmente resfriado e seu armazenamento feito em uma garrafa PET transparente de refrigerante ou água. Para facilitar o engarrafamento, uma sugestão é a utilização de um funil, bem como um coador plástico para evitar despejar resíduos de alimento. Vale lembrar que a garrafa deve estar bem fechada, para evitar vazamentos, e fora do alcance de crianças e animais de estimação. Quando a garrafa estiver completamente cheia, é só levar em um dos postos fixos de atendimento para a realização da troca por desconto na conta de energia. É necessário levar também a conta de energia.
Coleta nos Condomínios

O projeto também fará a coleta nos condomínios ou prédios residenciais inscritos no Projeto Vale Luz Condomínio, que integra o Programa de Eficiência Energética da concessionária. Assim, o Projeto Vale Luz fará o descarte correto do resíduo e o condomínio receberá o desconto na fatura de energia. 
Descarte inadequado

O descarte irregular de óleo causa entupimentos nas tubulações da rede de esgoto, aumentando em até 45% o custo do tratamento do esgoto. Ele também contamina os lençóis freático e polui e impermeabiliza o solo, o que pode gerar enchentes. Na água, forma uma película superficial, altera o PH e diminui o oxigênio, provocando a morte de plantas e animais aquáticos. Além disso, o óleo desequilibra os nutrientes, gerando a proliferação excessiva de algas e a poluição do ambiente. No oceano, em contato com a água salgada, libera gás metano, grande causador do efeito estufa e um dos responsáveis pelo aquecimento global.

Plenário aprova voto distrital misto para eleições proporcionais

Agência Senado

O Plenário aprovou nesta terça-feira (21) dois projetos de lei do Senado (PLS) que instituem o voto distrital misto nas eleições proporcionais. As regras valem para a escolha de vereadores e deputados estaduais, distritais e federais.

O PLS 86/2017, do senador José Serra (PSDB-S), e o PLS 345/2017, do senador Eunício Oliveira (PMDB-CE), tramitavam em conjunto. Os projetos foram relatados em Plenário pelo senador Valdir Raupp (PMDB-RO) e agora seguem para a Câmara dos Deputados.

O sistema distrital misto combina o voto proporcional com o distrital. De acordo com a proposta, o eleitor vai fazer duas escolhas na urna: o candidato de seu respectivo distrito e o partido de sua preferência.

As cadeiras das casas legislativas serão preenchidas primeiramente pelos candidatos eleitos pelo voto distrital. Esgotadas essas vagas, as cadeiras remanescentes serão distribuídas entre candidatos dos partidos mais bem votados.

De acordo com o texto, o número de representantes distritais deve corresponder à metade do número de cadeiras de cada circunscrição, arredondando-se para baixo no caso de números fracionários. Por exemplo: no caso de um estado com nove cadeiras de deputado federal, quatro serão escolhidos na modalidade do voto distrital.

A proposta delega à Justiça Eleitoral a missão de demarcar os distritos, que precisam ser geograficamente contíguos. A divisão deve seguir como critério o número de habitantes.

O relator, senador Valdir Raupp, apresentou uma emenda para eliminar a figura do suplente para os candidatos a cargos proporcionais. Outra emenda estabelece que, no caso dos vereadores, o voto distrital vale apenas em municípios com mais de 200 mil eleitores.

Debates

Os projetos foram aprovados por 40 votos a favor e 13 contra. Para o senador Valdir Raupp, o voto distrital misto vai refletir melhor a escolha dos eleitores nas votações proporcionais.

– A legitimidade do nosso sistema político é declinante. A cidadania não se sente representada no Parlamento. Precisamos reformar a política para que ela deixe de ser o problema e passe a ser parte da solução da crise brasileira – afirmou.

Para o senador José Serra, as novas regras vão reduzir os custos das eleições e respeitar a proporcionalidade.

– O sistema atual custa em excesso e sub-representa em excesso. Quem é eleito em São Paulo precisa ter uma base de recursos altíssima e não representa os eleitores. Muitas vezes, eles nem lembram em quem votaram. Estamos dando um passo para fortalecer a legitimidade democrática do sistema eleitoral – disse.

O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) criticou a proposta. Para ele o assunto deveria ser tratado em uma proposta de emenda à Constituição (PEC), que exige um quorum qualificado para aprovação.

– Esse tema tem que ser discutido numa PEC. É uma forçação de barra gigantesca votar isso como projeto de lei. Vamos diminuir o espaço de representantes que defendam ideias e projetos. Vamos fortalecer uma lógica paroquial, com aquele deputado que vai fazer a intermediação de verbas com o governo de plantão – argumentou.

O senador Radolfe Rodrigues (Rede-AP) votou favorável a matéria, mas também se mostrou receoso quanto à constitucionalidade.

– O sistema proporcional como está fracassou. O distrital misto traz como principal qualidade as virtudes tanto do majoritário quanto do proporcional em uma só proposta. Sou favorável à matéria, mas tenho dúvida se podemos enfrentar esse tema que não seja por meio de uma PEC – afirmou.

Alvos da Operação Torrentes são presos novamente pela Polícia Federal

A Torrentes apura supostas fraudes em contratos de assistência às vítimas das enchentes que castigaram a Mata Sul
Foto: Luiz Pessoa/JC Imagem

JC Online

Dez alvos da Operação Torrentes foram presos novamente pela Polícia Federal, nesta terça-feira (21). Ao todo, foram expedidos nove mandados de prisão preventiva e dois de prisão domiciliar. Uma das pessoas não foi localizada.

O tentente-coronel Laurinaldo Félix do Nascimento e o coronel Fábio de Alcântara Rosendo cumprem prisão domiciliar. Outros seis homens e duas mulheres passarão por audiência de custódia e serão levados para o Centro de Observação Criminológica e Triagem Professor Everardo Luna (Cotel), em Abreu e Lima, no Grande Recife, e para a Colônia Penal Feminina do Recife.

Os oficiais também foram obrigados a entregar os passaportes, foram afastados das funções públicas e deverão pagar fiança posteriormente, o valor ainda será informado pela Justiça.
Civis presos

Os civis presos preventivamente são Heverton Soares da Silva, Ítalo Henrique Silva, Ricardo José de Padilha, Rafaela Carrazone da Cruz, Taciana Santos Costa, Ricardo Henrique Reis dos Santos e Emanoel Feliciano. O alvo Daniel Pereira da Costa não foi encontrado.

Novos fatos

O Ministério Público Federal (MPF) solicitou as prisões após o surgimento de novos fatos na investigação. 
Operação Torrentes

Treze pessoas que estavam em prisão temporária no âmbito da Operação Torrentes haviam sido liberadas em 14 de novembro, cinco dias após o cumprimento dos mandados pela Polícia Federal. O Ministério Público Federal (MPF) chegou a pedir à 36ª Vara Federal a prorrogação das prisões, mas a juíza Carolina Souza Malta negou.

A Operação Torrentes investiga supostas fraudes em contratos de assistência às vítimas das enchentes na Mata Sul pernambucana em 2010 e 2017, com foco na Secretaria da Casa Militar. A apuração começou a partir de um relatório da Controladoria Geral da União (CGU) em 2016 apontando irregularidades como superfaturamento em 15 licitações entre 2010 e 2015.

terça-feira, 21 de novembro de 2017

Charge do Zé Dassillva - Diário Catarinense


Mudanças nas certidões de nascimento, casamento e óbito entram em vigorr

Folha-PE

As mudanças nas certidões de nascimento, óbito e casamento, previstas na Medida Provisória (MP) 776/2017 que altera a Lei de Registros Públicos, entram em vigor nesta terça-feira (21). Dentre as principais alterações, está a inclusão do número do CPF nos registros.

A medida prevê que a naturalidade da criança pode ser o município de nascimento ou a cidade de residência da mãe, desde que seja em território nacional. A opção deve ser declarada no ato do registro do nascimento. Nos casos de adoção ocorrida antes do registro, poderá ser declarada naturalidade no município de residência do adotante.

Outra mudança é que os documentos passam a levar o termo "filiação" e não mais o termo "genitores", com o objetivo de incluir crianças filhas de dois pais, duas mães, uma mãe e dois pais e também os nascidos por meio de técnicas de reprodução assistida como a barriga de aluguel ou doação de material genético.

O texto também autoriza os cartórios a prestar, mediante convênio, outros serviços remunerados à população em credenciamento ou em matrícula com órgãos públicos e entidades interessadas, como a emissão de carteiras de identidade ou de trabalho. O convênio deve ser firmado com entidades situadas na mesma região do cartório.

A medida prevê ainda que o Ministério Público não precise mais ser ouvido antes da averbação de documentos em cartórios, salvo nos casos em que o oficial do cartório solicitar o parecer por suspeitar de algum tipo de fraude nas declarações ou documentação apresentadas.

A nova lei dispensa também consulta ao Ministério Público a respeito de correção de erros que não precisem de questionamentos. Se o erro for cometido pelo oficial ou outros integrantes do cartório, não serão cobradas taxas dos interessados na documentação.

Outra mudança da MP é a possibilidade de registrar certidão de falecimento tanto no lugar do óbito, quanto no município de residência da pessoa, conforme apresentação de atestado médico ou declaração de duas testemunhas da morte.

Polícia divulga vídeo de agressão a assaltante que atirou em pedagoga


JC Online

A Polícia Civil divulgou nesta terça-feira (21) novas imagens do circuito de segurança da farmácia onde a pedagoga Iva Laíz Almeida de Alcântara Bispo, 33 anos, foi morta durante um assalto, em Abreu e Lima, na Região Metropolitana do Recife. Iva carregava sua filha, de apenas 1 ano, quando foi feita de refém por Felipe Mateus da Silva Pessoa, de 18 anos, que anunciava o assalto.

Após efetuar o disparo contra a mulher, o suspeito foi agredido por quem estava no local. No vídeo é possível ver o jovem saindo da farmácia e sendo espancado por populares. Confira:


As imagens mostram o segurança do estabelecimento, Josué Policarpo da Silva, segurando o suspeito e em seguida outras pessoas dando chutes e murros. Pouco depois, uma Kombi, que estava passando pelo local, para e um outro homem desce para bater em Luiz Mateus.

Depois de alguns segundos o homem volta para o veículo e vai embora. O segurança continua segurando o suspeito e logo em seguida, provavelmente a mesma Kombi passa novamente e outro homem desce para bater no jovem.

No final do vídeo ainda é possível ver o momento em que o corpo da vítima é retirado por quatro pessoas de dentro da farmácia e levada para um carro. 

Enterro

O corpo da pedagoga Iva Laíz foi enterrado no final da tarde dessa segunda-feira (20), no Cemitério Municipal Santo Antônio, em Abreu e Lima.

A vítima estava com sua filha e seu marido comprando na farmácia no momento do assalto. O bebê, que estava em seu colo, não sofreu ferimentos.

TRF2 determina restabelecimento de prisão de deputados da Alerj


Jorge Picciani, Paulo Melo e Edson Albertassi 
Foto: Tania Rego/Agência Brasil, Fabio Motta/Estadão e Alerj

Constança Rezende
O Estado de S.Paulo

Por unanimidade, os desembargadores responsáveis pelo processo da operação Cadeia Velha no Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2), no Rio, determinaram o restabelecimento da prisão dos deputados da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) Jorge Picciani, Edson Albertassi e Paulo Melo, todos do PMDB. O relator, desembargador Abel Gomes, argumentou que o alvará de soltura, determinado em votação entre os deputados da Alerj, não passou pelo tribunal. Os outros quatro desembargadores acompanharam o voto do relator.

Nesta sessão, estava prevista a decisão do afastamento dos deputados de suas funções da Alerj, mas o relator Abel Gomes pediu questão de ordem e argumentou que o alvará de soltura, determinada em votação entre os deputados da Alerj, não passou pelo tribunal. A decisão dos parlamentares foi encaminhada diretamente pela assembleia para a prisão de Benfica, na zona norte do Rio, sem passar pelo TRF, e os deputados foram soltos.

Junior Matuto sensibiliza presidência do TRE/PE e consegue devolução do anexo do Teatro Paulo Freire

Cedido ao Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE/PE) em 2012 por meio de comodato, o anexo do Teatro Paulo Freire, no Centro do Paulista, será devolvido à administração municipal em até 90 dias. A novidade, que representa uma conquista para a classe artística da cidade, é o resultado de um pleito antigo do prefeito Junior Matuto junto ao órgão da Justiça Eleitoral. O gestor do Paulista, inclusive, esteve reunido nesta segunda-feira (20.11), no Recife, com o presidente do TRE/PE, Luiz Carlos de Barros Figueiredo. Na ocasião, o desembargador atendeu à solicitação do prefeito e “bateu o martelo” sobre a devolução do imóvel.

Atualmente, no anexo do Teatro Paulo Freire funcionam a 12ª e 146ª zonas eleitorais, além de uma central de atendimento do Tribunal. Com a devolução, esses setores do TRE/PE serão transferidos para um novo endereço. O local ainda não foi definido, porém, a gestão municipal já se colocou à disposição para ajudar nesse quesito, inclusive, dando opções à presidência do órgão alguns imóveis do município.

Após a reunião com o presidente do Tribunal, o prefeito Junior Matuto fez questão de enaltecer a conquista do município com a devolução do anexo do Teatro. “Quando assumimos o mandato em 2013 fomos surpreendidos com a informação de que o TRE ocuparia o anexo do teatro. A classe artística da cidade realizou vários protestos e até chegou a culpar nossa gestão pela liberação do espaço ao órgão da Justiça Eleitoral. A partir daí decidimos cair em campo para reverter essa situação, o que não aconteceu de imediato. Mas não desistimos. Hoje, depois de muita luta, podemos dizer que essa devolução é uma grande vitória para o nosso povo, especialmente, aos artistas da nossa cidade”, destacou o gestor.

Acompanhando o prefeito no encontro, o secretário de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Cultura do município, Fabiano Mendonça, revelou que a devolução do espaço acontece em boa hora e se encaixa perfeitamente no planejamento da pasta. “Estamos extremamente felizes com a possibilidade de poder devolver esse espaço tão emblemático às atividades culturais da nossa cidade. E o melhor é que a devolução do espaço, antes ocupado pelo TRE, coincide com o nosso planejamento para o teatro. O edital de licitação da reforma dessa tão importante casa de espetáculos será lançado ainda nesse mês. Isso significa que, em pouco tempo, teremos o anexo e a parte estrutural revitalizada totalmente à nossa disposição”, adiantou.

Assessoria de Comunicação - Prefeitura de Paulista

Ex-gerente da Transpetro é alvo de nova fase da Lava Jato

A Transpetro é uma subsidiária da Petrobras
Foto: Agência Brasil

Estadão

A Operação Sothis, 47ª fase da Operação Lava Jato, deflagrada nesta terça-feira (21) pelo juiz federal Sérgio Moro, tem como alvo um ex-gerente da Transpetro, José Antonio de Jesus, subsidiária da Petrobras, seus familiares e intermediários, suspeitos de operacionalizarem o recebimento de R$ 7 milhões de propinas pagas por uma empresa de engenharia, entre setembro de 2009 e março de 2014. Jesus foi preso na manhã desta terça (21) em Camaçari, na Grande Salvador.

Os investigadores suspeitam de que valores ao ex-gerente foram repassados em benefício do PT e que, de forma independente, a mesma empresa fez repasses ao PMDB a pedido da presidência da Transpetro.

De acordo com a Procuradoria da República no Paraná, as investigações se iniciaram a partir da colaboração premiada dos executivos da empresa de engenharia alvo da ação deflagrada nesta terça-feira, 21.

A partir daí foram realizadas diversas diligências, como afastamento de sigilos bancário, fiscal, telemático e de registros telefônicos, os quais revelaram a existência de estreitos vínculos entre os investigados e corroboraram os ilícitos narrados pelos colaboradores.

O Ministério Público Federal entende que os indícios encontrados a partir das investigações indicam que o ex-gerente recebeu suborno para favorecer a empresa de engenharia em contratos com a Transpetro.

Os procuradores encontraram pagamentos por meio de depósitos realizados em contas bancárias de terceiros e familiares, oriundos contas de titularidade da empresa de engenharia e/ou de seus sócios com o suposto objetivo de dissimular e ocultar a origem ilícita dos recursos.

O ex-gerente teria pedido, inicialmente, o pagamento de 1% do valor dos contratos da empresa com a Transpetro como propina, entretanto, o acerto final ficou em 0,5%. Este valor foi teria sido pago mensalmente em benefício do PT, de modo independente dos pagamentos feitos pela mesma empresa a pedido da presidência da Transpetro, e que eram redirecionados ao PMDB. O ex-gerente se desligou da subsidiária da Petrobras recentemente.
Esquema

Para a procuradora da República Jerusa Burmann Viecili, "neste caso houve um dos esquemas mais rudimentares de lavagem de dinheiro da Lava Jato. A propina saía da conta bancária da empresa de engenharia para a conta bancária de empresa do filho sem qualquer contrato ou justificativa para o repasse do dinheiro. Além disso, estão sendo investigados contratos entre a própria empresa do filho, controlada de fato pelo ex-gerente, e a Transpetro, o que pode indicar a inexistência ou falha grave de mecanismos de compliance".

O procurador da República Athayde Ribeiro Costa destaca que "houve um esquema político-partidário contínuo e duradouro na Transpetro, como na Petrobras. Os crimes praticados na Transpetro são uma nova frente de investigações da Lava Jato, em expansão. Como ocorreu no caso da Petrobras, este é o momento mais favorável para quem quiser colaborar com a Justiça se apresentar", afirmou.

Migração: nova lei assegura direitos e combate a discriminação

Agência Senado

O Brasil já conta com uma nova Lei de Migração, que garante direitos e protege os estrangeiros contra discriminação. A norma (Lei 13.445/2017) substitui o Estatuto do Estrangeiro, herdado do regime militar. A elaboração da legislação, que tem como princípios a igualdade de direitos e o combate à xenofobia e à discriminação, vinha sendo defendida desde a redemocratização do Brasil. O texto entra em vigor em 24 de novembro.
Avanços

Publicada com 18 vetos em 25 de maio, a nova lei é decorrente de substitutivo da Câmara dos Deputados a projeto do senador licenciado Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP), que teve como relator Tasso Jereissati (PSDB-CE).

Segundo o consultor legislativo Tarciso Dal Maso Jardim, a nova lei considera o migrante como um sujeito de direitos no sentido mais amplo possível, incluindo o brasileiro que sai para o exterior, e acolhe todos os tratados ratificados e absorvidos pelo regime constitucional brasileiro.

— Temos o imigrante, que vem para o Brasil para aqui se fixar; temos o emigrante, que é o brasileiro que sai para o exterior, e a lei traz benefícios para seu retorno; temos o residente fronteiriço; os apátridas, pessoas que não têm nacionalidade; alguns grupos vulneráveis e, por fim, o visitante, que é o estrangeiro que vem ao Brasil a negócios ou a turismo.

Para o consultor, um dos grandes valores da Lei de Migração é o direito à defesa e à segurança jurídica, visto que as legislações precedentes autorizavam a retirada compulsória do país, caso o estrangeiro fosse considerado nocivo, inconveniente ou se ofendesse a tranquilidade e a moralidade.

Tarciso ressalta ainda que a lei não é criminalizante e que o único tipo penal nela previsto coíbe os “coiotes”, que lucram com o fenômeno da imigração ilegal, sem prejudicar o migrante propriamente dito que, se cometer irregularidades, terá que pagar multa ou ser deportado.

— Há uma baixa população de estrangeiros no Brasil, 1 milhão e pouco, inferior a 1% da população brasileira. A população migrante no Brasil é de baixíssima criminalidade.

A Lei de Migração representa grande avanço com relação ao Estatuto do Estrangeiro, avalia a professora de Migração e Refúgio da Universidade de Brasília (UnB) Carolina Claro. Primeiro, explica, saem do primeiro plano as perspectivas de segurança e interesse nacionais e entram as óticas dos direitos humanos dos migrantes e da igualdade entre brasileiros e imigrantes. Em segundo lugar, a lei estabelece princípios e diretrizes que guiarão uma futura política migratória brasileira e também prevê proteção para apátridas, asilados e brasileiros emigrados.

A professora observa que, apesar dos vetos presidenciais, a lei inova ao ampliar os tipos de visto temporário para incluir, entre outros, o tratamento de saúde, a acolhida humanitária de imigrantes e a reunião familiar, temas recorrentes nos fluxos migratórios do século 21 que chegaram a ser regulados por resoluções do Conselho Nacional de Migração. Ela ressalta que a nova norma impede repatriação, deportação e expulsão coletivas, todas vedadas pelo direito internacional.

Outros pontos que ela destaca são a garantia de igualdade de tratamento entre brasileiros e imigrantes e o capítulo específico para proteção dos brasileiros no exterior.

A lei inova também ao aperfeiçoar o procedimento de repatriação, prevendo a participação da Defensoria Pública da União na defesa do migrante ao longo do processo. A mesma lógica foi adotada quanto à deportação, embora essa ainda possa ser imediata em alguns casos, explica o defensor público Gustavo Zortea.

O defensor público observa que a norma amplia as causas impeditivas de expulsão do imigrante e impede que ele, no processo de extradição, permaneça na prisão até a decisão final da Justiça. Outro ponto que destaca é a isenção do pagamento das taxas de regularização aos migrantes mais carentes.

— A nova lei vem para adequar a questão migratória à Constituição de 1988.
Vetos

Para Zortea, alguns vetos desfiguraram a norma, como o à previsão de anistia migratória e o ao processo de regularização mais simples a imigrantes que entraram no Brasil até 6 de julho de 2016 e que fizessem o pedido de regularização até um ano após a vigência da lei. Também foram vetadas a livre circulação de indígenas e populações tradicionais entre fronteiras, em terras tradicionalmente ocupadas, e a extensão da regularização da permanência no país a parentes e agregados dos migrantes.

Na justificativa dos vetos, o presidente Michel Temer alegou que alguns dispositivos poderiam comprometer a segurança e os direitos indígenas e estimular o tráfico internacional de pessoas, sobretudo menores de idade. O exercício de cargo público por estrangeiro também foi vetado. Segundo Temer, isso seria uma “afronta à Constituição e ao interesse nacional”.

— Há preocupação excessiva com terrorismo e segurança. Possibilidades existem, mas não deveriam nortear o tratamento dado a todos os migrantes — afirma Zortea.

Os cinco motivos para o PMDB não trocar de mãos - Inaldo Sampaio

O vice-governador Raul Henry, que preside o PMDB pernambucano, continua acreditando que não perderá o controle do partido para o senador Fernando Bezerra Coelho, tal como aparentemente está definido pela executiva nacional. Ele insiste em afirmar que há pelo menos cinco motivos para que o PMDB regional permaneça sob seu comando, e sob a liderança de Jarbas Vasconcelos. Primeiro, a história do partido, que foi fundado em 1966 e tem Jarbas em seus quadros desde 1969. Segundo, a falsa versão de que o partido teria estagnado sob a atual gestão, sendo a que mais cresceu no país (136%) em relação a 2012. Terceiro, o comportamento democrático da atual executiva, que não impediu a entrada de nenhum interessado, nem mesmo do senador Fernando Bezerra. Quarto, o partido tem diretório constituído, democraticamente eleito em convenção, e não “cartorial” como a grande maioria das legendas. Quinto e último, seus representantes na Câmara Federal, Jarbas Vasconcelos e Kaio Maniçoba, não descumpriram nenhuma das diretrizes partidárias. Logo, intervir por quê? - questiona o vice-governador. Que ainda se nega a acreditar que a “decisão política” de dissolver a secção pernambucana já tenha sido tomada pelo senador Romero Jucá, atual presidente do partido.

Animação e garra 
A declaração do senador Fernando Bezerra Coelho (PMDB) a este jornal de que será candidato a governador no próximo ano, e que irá ganhar a eleição, deixou preocupados alguns seguidores do senador Armando Monteiro (PTB). Muitos deles, que por razões óbvias preferem o anonimato, gostariam de ver na campanha de Armando “o mesmo entusiasmo, a mesma garra e a mesma alegria que a gente vê na campanha de Fernando”.

1ª opção > Mendonça Filho, que está fora do Brasil, não pôde recepcionar Alckmin ontem no Recife, mas telefonou para o governador e lhe deu uma satisfação. O ministro passou a ser a “bola na vez” no DEM, para vice do tucano, se por acaso for um nordestino, porque o 1º da fila, ACM Neto, prefeito de Salvador, vai disputar o governo da Bahia.

Legitimidade > Alckmin disse ontem no Recife que o próximo presidente da República, seja ele quem for, deverá ser eleito com 60 milhões de votos. Estará, portanto, legitimado para propor ao Congresso as reformas de que o Brasil tanto precisa, especialmente a política e a previdenciária.

Animação > A semana foi animada em termos de lançamento de candidatos a presidente da República. Confirmaram a intenção de entrar no jogo Álvaro Dias (Podemos), João Amoêdo (Novo), Manoela D’Ávilla (PCdoB), Geraldo Alckmin (PSDB) e Paulo Rabello de Castro (PSC).

Vácuo > Fernando Bezerra Coelho decidiu disputar o governo estadual com base em pesquisas qualitativas. Nelas está muito claro que o governador Paulo Câmara perdeu popularidade, especialmente depois da crise na segurança, mas o principal candidato da oposição, Armando Monteiro Neto (PTB), não cresceu. No vácuo, portanto, o peemedebista decidiu se lançar.

Pedagoga assassinada em Abreu e Lima é enterrada no município


Parentes e amigos compareceram ao enterro para se despedir
Foto: Leopoldo Monteiro/ TV Jornal

JC Online

O corpo da pedagoga Iva Laíz Almeida de Alcântara Bispo, 33 anos, foi enterrado no Cemitério Municipal Santo Antônio, em Abreu e Lima, Região Metropolitana do Recife (RMR), no fim da tarde desta segunda-feira (20). O crime aconteceu nesse domingo (19) e foi presenciado pelo marido e pela filha do casal.

Iva amamentava a criança, de apenas um ano e meio, dentro do estabelecimento, localizado na BR-101, quando um homem armado anunciou o assalto. As câmeras do circuito de segurança mostram o momento em que o suspeito faz a pedagoga refém e investe contra o vigia. De acordo com a polícia, a intenção do rapaz era roubar a arma do segurança. Em seguida, é possível ver a reação do vigia e o tiro disparado contra Iva.

Felipe Mateus da Silva Pessoa, de 18 anos, foi agredido por populares e preso em flagrante pela polícia. De acordo com as autoridades, ele já teria histórico criminal.

Segundo o delegado João Leonardo, da Delegacia de Homicídios de Olinda, todas as testemunhas que estavam na farmácia já foram ouvidas. Elas teriam afirmado que o suspeito foi o autor do disparo que atingiu a mulher no peito. As armas utilizadas por Felipe e pelo vigia estão sendo periciadas.
COMPARSA

Testemunhas teriam afirmado, ainda, que o acusado estava sozinho durante a investida, mas uma mulher, que teria sido assaltada por ele minutos antes, afirmou que Felipe tinha um comparsa. A dona de casa de 30 anos teve o celular roubado e também prestou queixa contra o suspeito.

Na tarde desta segunda-feira (20), Felipe Mateus foi encaminhado para audiência de custódia e, segundo o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), teve prisão preventiva decretada, sendo levado para o Centro de Observação Criminológica e Triagem Professor Everardo Luna (Cotel), também em Abreu e Lima. Ele responderá pelo crime de latrocínio.

Restauração não abre novos leitos para tratamento de queimados há 16 anos

Folha-PE

A última ampliação de leitos no setor de queimados do Hospital da Restauração (HR), na área central do Recife, foi há 16 anos, em 2001, quando passou de 30 para 40. Não acompanhou o crescimento populacional, tampouco o aumento vertiginoso de pessoas queimadas, principalmente em 2017. Segundo o médico Marcos Barreto, chefe do setor, somente as crianças queimadas atendidas no HR ultrapassam os 1.600 casos por ano.

"A população aumentou muito e não tem mais para onde ir em termos de queimaduras. Além dos 40 pacientes dentro da unidade, tem ainda no corredor da emergência aguardando vaga, ou tira-se da emergência e se coloca em um dos andares, o que não é o local ideal", disse Barreto.

O médico atribui o aumento exponencial do número de queimados às altas do preço do gás de cozinha que já acumulam 54% este ano. "Essas pessoas não têm condições, não têm R$ 70, R$ 80 para comprar um botijão de gás e estão cozinhando com 'álcool de posto'", disse, referindo-se ao etanol anidro. "Já houve um caso aqui de chegarem três gerações queimadas dentro da cozinha, uma vó, uma mãe e uma neta". O médico observou ainda que tem aumentado o número de tentativas de suicídios com álcool. "As pessoas tomam banho de álcool e ateiam fogo. Semanalmente têm chegado casos aqui".

Por dia, são feitos, em média, mais de 30 procedimentos sob anestesia geral no setor de queimados do HR. "Um paciente queimado é uma família destroçada, todo mundo voltado para o tratamento. Muitas vezes é uma mãe de família que estava cozinhando e deixou 3, 4 filhos pequenos em casa sem saber nem com quem".

Marcos Barreto ressalta o custo do tratamento de um paciente queimado e o altíssimo índice de acidentes com crianças. "Se tirássemos as crianças da cozinha, tirássemos as gambiarras das casas e o álcool de dentro da cozinha, conseguiríamos eliminar 80% das crianças queimadas".

Botijão
No último sábado, sete pessoas da mesma famílias foram socorridas na unidade após o vazamento de um botijão de gás, em Jaboatão dos Guararapes, Região Metropolitana do Recife (RMR). Foram dois adultos e cinco crianças: Maria Betânia da Silva Balbino (24) e Roberto Balbino (62) e Tatiane Gabriel da Silva (8), Luciano Silva Balbino (9), Isabela Silva Balbino (5), Nicole Beatriz da Silva (3), além do bebê Daniel Rodrigo da Silva Balbino (1). Segundo o médico, todos têm queimaduras em mais de 30% do corpo, mas a situação mais grave é do bebê Daniel, que teve 90% do corpo atingido.“Ele esta na UTI na ventilação mecânica. As outras crianças e os adultos tiveram queimaduras de membros inferiores, superiores, face e queimadura parcial de tórax”, explicou.

Os sete devem passar por cirurgias reparadoras e fisioterapia motora. Roberto Balbino era o único que permanecia na emergência até a manhã de ontem, por fata de leito na unidade especializada. Com a alta de um paciente, ele foi transferido para a mesma ala da família à tarde.

Entenda o caso
Na manhã deste sábado (18), um princípio de incêndio aconteceu após vazamento de gás na Primeira Travessa da Castanhola, no bairro de Padre Roma, em Jaboatão dos Guararapes, Região Metropolitana do Recife (RMR).

O botijão era recentemente comprado e começou a vazar minutos depois de instalado. A esposa de Roberto, Rosilda da Silva, 43, contou que o marido comprou o botijão “de um rapaz que passou vendendo numa moto”. Ela não soube dizer a origem do produto. A filha do idoso e mãe de uma das crianças, Roseane da Silva Balbino, 22, comentou que foi o próprio vendedor que correu para avisá-la do incidente. “O que disseram foi que estava vazando gás e que estavam tentando consertar, mas alguém acendeu a luz e explodiu”, disse.

De acordo com o Corpo de Bombeiros de Pernambuco, a equipe chegou a ser acionada e, mas as vítimas foram socorridas por populares para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Engenho Velho – Carlos Wilson. Da UPA, os feridos foram encaminhadas para o Hospital da Restauração (HR). O fogo não chegou a se alastrar, mas atingiu o botijão e a mangueira.

Investigação do caso
No quesito investigação, a Polícia Civil de Pernambuco (PCPE) informou o inquérito sobre a explosão na casa da família Balbino já foi aberto. No dia do acidente, sábado (18), foi realizada uma perícia e o delegado que estava de plantão, Joaquim Marinosio, ouviu depoimentos. No último domingo (19), o inquérito foi passado para o delegado Victor Hugo Rondon, titular da Delegacia de Jaboatão dos Guararapes. Segundo a PCPE, toda semana, a Delegacia de Crimes Contra o Consumidor realiza duas fiscalizações para combater venda ilegal de gás. São conferidas as licenças do Corpo de Bombeiros; a ambiental; e da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Já o Sindicato dos Revendedores de Gás Liquefeito de Petróleo do Estado de Pernambuco (Sinregás PE) lamentou, em nota, o acidente causado pelo vazamento de GLP na casa da família. A instituição destacou que a venda irregular do gás de cozinha, infelizmente, é uma prática comum e antiga no Brasil. O sindicato frisou que a população só deve adquirir o GLP de qualidade, com garantia de segurança e somente com nota fiscal através da revenda autorizada. Aproveitou para cobrar maior fiscalização do produto pelos órgãos competentes.