sábado, 24 de dezembro de 2016

UFPE abre processo contra estudantes por agressão a professores

Folha-PE

A Reitoria da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) abriu um inquérito administrativo para apurar uma acusação de agressão contra contra dois professores, nesta sexta-feira (23), que teria sido cometida por estudantes. O caso aconteceu durante uma reunião para ajustar o calendário acadêmico, interrompido devido à greve dos professores do campus e das ocupações estudantis nos prédios da universidade.

De acordo com a UFPE, treze estudantes que participaram das ocupações da instituição foram convidados a participar da sessão e teriam discordado do resultado, que determina a volta às aulas no dia 9 de janeiro. Eles teriam se colocado na porta do auditório da reitoria e tentado impedir a saída dos membros do Conselho Coordenador de Ensino, Pesquisa e Extensão. Um dos docentes teria, então forçado a saída e sido agredido por eles. Ainda de acordo com a universidade, outro professor tentou interferir e foi fisicamente atingido. 

A Reitoria afirma que vai tomar providências judiciais para evitar novos casos de ocupação dos prédios da UFPE, além das medidas administrativas contra os alunos.

Por meio de nota na página em uma rede social, o movimento Ocupa UFPE informa que os estudantes do movimento, bem como alguns professores, se posicionaram contrários à data escolhida por dois motivos: o Restaurante Universitário estará em recesso até o dia 18 de janeiro, o que impossibilita que alunos em situação de vulnerabilidade possam se alimentar; os estudantes do Centro Acadêmico de Vitória e do Centro Acadêmico do Agreste poderão ser reprovados por falta, já que as cidades próximas a esses Centros não disponibilizarão transporte gratuito nesse período. Esses dois centros também não possuem Restaurante Universitário, o que já gera um custo extra para esses alunos.

Diferente da Reitoria, o movimento informa que os estudantes é que foram agredidos pelos professores. De acordo com a publicação, no momento em que o reitor encerrou a reunião, duas estudantes se postaram na porta do recinto e tentaram impedir a saída. Dois professores tentaram forçar a passagem "com empurrões"e uma delas teria levado um tapa no rosto e suas roupas teriam sido rasgadas. A outra teria sido empurrada contra a porta e machucado o braço. Ainda de acordo com o movimento, um terceiro estudante teria levado uma chave de braço no pescoço por um dos professores. 

O movimento Ocupa UFPE exige retratação por parte da Reitoria e pede que "os reais agressores sejam responsabilizados por seus atos". "Em dias onde nossa sociedade funciona com mecanismos que culpabilizam as vítimas de agressões o caráter da Reitoria, além de mentiroso e autoritário, se mostra também machista e racista", publicou.

Nenhum comentário :

Postar um comentário