domingo, 29 de janeiro de 2017

Associação oferece atividades para a terceira idade em Olinda

O objetivo é promover a inclusão digital dos idosos e dar dignidade a quem já chegou na terceira idade
Foto: Guga Matos/ JC Imagem

JC Online

Foi a partir da vontade de tornar a vida de idosos digna e inclusiva que a empresária Neuza Macena fundou, em 2013, ao lado do marido Luciano Alves, a Associação Nacional da Terceira Idade (Anati) em Olinda, Região Metropolitana do Recife. Desde então, idosos têm acesso a aulas de informática, palestras sobre saúde na terceira idade, atendimento psicológico e oficinas de terapia ocupacional. O reconhecimento como entidade veio em dezembro do ano passado e, após quatro anos de funcionamento, a associação se prepara para inaugurar sua sede em Rio Doce na terça-feira (31). 
“Meu pai teve depressão e isso me fez ver as coisas de maneira diferente. Quis trabalhar com idosos para fazê-los entender que eles podem aprender e se divertir; que não precisam gastar dinheiro somente com remédios. Quero dar a eles um término de vida diferente do que o meu pai teve”, diz Neuza. 

Formada em estudos sociais, ela aprendeu informática na empresa em que trabalhava. A ideia de promover alfabetização digital para idosos surgiu em 2013, quando alugou uma casa para oferecer aulas a preço acessível. O curso tem duração de três meses e custa R$ 90 mensais. Os demais serviços oferecidos são gratuitos.

Para a empresária, os benefícios da informática são muitos. “Os idosos se tornam independentes e têm uma melhora significativa na qualidade de vida.” Os alunos aprendem comandos básicos do computador, criam e-mails e contas em redes sociais. “A socialização é benéfica. Muitos idosos ficavam sozinhos e sofriam de depressão.” São oito computadores e quatro aulas semanais. As primeiras máquinas foram doadas; as outras saíram do bolso de Neuza e do marido. 

Quem faz o curso, aprova a iniciativa. “Fiz aulas em outros lugares, mas não consegui aprender porque a turma misturava idades. Aqui são só idosos, todos têm o mesmo ritmo de aprendizado”, destaca Graciliano Monteiro, 78 anos. “Quando concluí o curso, chorei de emoção”, conta Edeovaldo dos Santos, 79. As aulas mudaram tanto a vida de alguns idosos que parte dos ex-alunos passou a trabalhar na diretoria da associação.

PARCERIAS

Na nova sede, na Rua das Camélias, os alunos terão acesso a aulas de dança, pilates, ginástica, pintura e artesanato. A princípio, serão cobradas taxas simbólicas, que ajudem a custear as despesas do imóvel alugado, mas a diretoria busca parcerias com instituições e com o poder público para que os serviços sejam gratuitos. 

A única renda da associação vem das aulas de informática e, por isso, toda ajuda é bem-vinda. Doações podem ser feitas para a conta da entidade no Banco do Brasil (agência 4274-9, conta 17.311-8). Além disso, a Anati precisa de voluntários de qualquer área. Informações: 3053-7288.

Nenhum comentário :

Postar um comentário