quinta-feira, 16 de março de 2017

Se sair de Fachin, cairá nas mãos de Moro - Inaldo Sampaio

Nem os tucanos de Pernambuco sabem ao certo se o ministro Bruno Araújo tem projeto majoritário para 2018. Justo por sua condição de auxiliar do presidente Michel Temer, ele se transformou automaticamente numa peça importante para as próximas eleições. Tanto pode disputar uma das vagas no Senado, como o cargo de governador. No entanto, o simples fato de ter aparecido na “lista Janot” talvez o obrigue a rever seus planos, optando pela permanência na Câmara Federal em vez de tentar dar o salto para um cargo majoritário. 

A eleição de deputado não lhe trará risco algum, ao passo que a disputa por uma vaga no Senado, ou mesmo pelo lugar de Paulo Câmara, representa risco dobrado. Em caso de vitória, seria alçado à condição de um dos maiores líderes políticos do Estado. Na hipótese de derrota, ficaria sem mandato e não mais sob a batuta do ministro Édson Fachin no STF, e sim do juiz Sérgio Moro, em Curitiba. 

Se ficar sem mandato, o ministro Bruno Araújo corre o risco de acabar nas mãos do juiz Sérgio Moro

Nenhum comentário :

Postar um comentário